Maconhabrás

Maconhabrás – A Redenção Tupiniquim

Verde Floresta

Já que as florestas estão ardendo em chamas, temos que arrumar um jeito (brasileiro é especialista global !) de manter isto daí. Manter o verde da bandeira e, de quebra, arrumar alguma fonte de recursos para recuperar o balanço de pagamentos. Sim, não sou economista nem advogado, graças a Deus, mas para manter isto daí, com STF e tudo, temos que investir em alguma coisa pública. Portanto, nada mais apropriado do que criarmos a Maconhabrás.

O verde voltará mais forte e saudável do que nunca !

Maconhabrás

Ao contrário de eméritos professores que propuseram, alguns anos atrás (outubro de 2013), algo sério sobre a maconha e seus efeitos medicinais, vou além, preocupo-me com a economia do país.

Anteriormente, escrevi o artigo “Fim do Mundo Maia e a Inversão dos Pólos” bem depois de iniciado o trabalho dos professores da Unifesp-Cebrid. Entretanto, tanto o meu texto como o início dos trabalhos dos professores sobre a Maconhabrás são posteriores ao “fim do mundo”. E nisto, vejo uma grande oportunidade do Brasil resolver todos os problemas econômicos, trabalhistas, previdenciários e assemelhados, sem que seja necessário vender a Petrobrás, Eletrobrás, Siderbrás, Telebrás etc.

A Maconhabrás teria vantagens adicionais, internas e externas, elevaria o balanço de pagamentos e poderia ser implementada no sertão nordestino. Por outro lado, geraria total independência econômico-financeira daquela região, suscitando até ideias de separatismo radical. Imagina se o povo resolve se alimentar do resultado da produção deles.

Canabidiol x THC

Em primeiro lugar, devemos ressaltar que estamos falando do THC, cujo suco concentrado é muito mais eficiente do que aquilo que este pessoal fica fumando. Recentemente, perdi um parente que, literalmente, no leito de morte, tinha alta estima por aqueles que levavam um “cigarro” para ele pitar.

Canabidiol, recentemente aprovado pelos órgáos reguladores, tem análises limitadas e respectivos efeitos bastante contidos. Já o THC, de acordo com notícias vindas do primeiro mundo, tá bombando e é permitido em vários países. Nos EUA (o povo que para pau para os EUA vai adorar), existem alguns estados em que o extrato de THC são permitidos até para fazer umas balinhas, totalmente “inofensivas”.

Alimentos à base de THC são quase uma “onda” que veio para ficar. Com certeza, veio para ficar e precisamos ter muito cuidado para não deixarmos nossas crianças com este tipo de medicamento ao alcance. Mas nada que os procedimentos de pais zelosos, que sabem tudo que os filhos ingerem, não vá controlar.

Marijuana

Enfim, tenho acompanhado documentários sobre a legalização ou discriminalização da maconha. Nenhum destes processos cita Maconhabrás, que queria uma espécia de Jabuticaba (Yes, we can !), coisa tupiniquim mesmo, pra ninguém botar defeito.

Num destes documentário, apareceu uma mulher com nome real de Mari Joanna, fala sério, que pai coloca o nome na filha deste jeito e deixa a menina trabalhar numa fábrica de THC?

Em outros depoimentos, uma senhora de mais de 60 anos montou uma fábrica de extrato e só não ficou rica porque não a deixam exercer suas atividades. Lembrando que esta senhora é dos EUA e lá não tem nada de “livre iniciativa”. Eu queria ver se uma multinacional de alimentos, tipo a Cargill, criasse chocolate com THC e colocasse suas unidades de produção no Brasil.

Tenho a certeza absoluta de que minha ideia é sensacional, e ia ser “TEJE” aprovado desde que alguém entendesse a proposta global.

Neste momento, apenas digo que a Maconhabrás pe uma ideia “da hora”, nada mais acrescento pois estou na expectativa de convencer alguns investidores e estragaria meu plano de negócios. Se bem que, já tenho um plano de negócios para acabar de vez com este lero-lero de queimadas, resgatar o verde da nossa bandeira e tirar a fumaça dos cigarros de maconha do mapa global.

Vai uma balinha de goma aí ?

 

Reprodução: Verdinha.Club

P. S. –  Reitero também o pedido feito em muitos momentos da vida deste blog e presente na página de “Advertências“. Observações, sugestões, indicações de erro e outros, uma vez que tenham o propósito de melhorar o conteúdo, são bem vindas. Coloquem aqui nos comentários ou na página do Facebook.

1 comment for “Maconhabrás – A Redenção Tupiniquim

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.