Esquerda, Cuidado! (Latuff)

Esquerda, CUIDADO ! – O que Li por aí …

O QUE LI POR AÍ

Algum tempo atrás, li um texto que me fez refletir. Agora, um amigo foi lembrado pelo Facebook do que escrever o Álvaro Nascimento, e eu faço questão de ilustra minha trilha O QUE LI POR AÍ com o texto “Esquerda, CUIDADO!”.

Agora a inês é morta, não tivemos cuidado e caímos na arapuca. Certamente, não me incluo entre os responsáveis, como alguns conhecidos meus sugerem. EU AVISEI !


ESQUERDA, CUIDADO!

O combate à corrupção e nós.

42 anos

1. Com olhos de quem milita politicamente há 42 anos contra esse Brasil injusto e desigual, me sinto na obrigação de alertar os companheiros do espectro de esquerda em relação a um fato que parece notório, mas que a realidade demonstra a cada minuto não ser uma preocupação presente em lideranças e militantes: estamos vivendo um período extremamente complexo e onde os posicionamentos requerem (como nunca antes) reflexão aprofundada.

Temer

2. Uma das dimensões deste complexo momento está refletida no fato de que iniciativas que sempre foram bandeiras da esquerda democrática brasileira (o combate sem tréguas à corrupção) passaram a ser desfraldadas por representantes do conservadorismo jurídico-midiático que viabilizou um golpe contra a vontade das urnas. Esse golpe se radicaliza com as medidas anti-nacionais e anti-populares que veem sendo implementadas pelo Governo de Michel Temer (PEC 55, entrega do pré sal, etc.)

Duas Coisas

3. Neste momento específico do embate que se trava no sentido de resgatar a democracia, me parece necessário separar duas coisas:

1a – A correta reação contrária de nossa parte à iniciativa do Judiciário e dos procuradores do Ministério Público de quererem se isentar de qualquer questionamento e eventual punição relativos às suas práticas. Afinal, procuradores e juízes já deram várias demonstrações que também erram, podem ser levados pela seletividade e até partidarização em suas investigações e mesmo cometerem desatinos (como a recente divulgação por um Juiz Federal de gravações privadas de dois presidentes da República). Juízes e procuradores não podem ser alçados à categoria de “deuses” e devem, sim, submeter suas ações a controle público, como qualquer servidor pago pela sociedade.

2a – Como democratas que sempre combateram a corrupção, não podemos deixar de apoiar medidas que venham a criar barreiras mais rígidas, punições mais rápidas e exemplares, além de políticas de prevenção contra um dos maiores cânceres de nosso História passada e recente, o enriquecimento ilícito via cofres públicos.

Auto-Proteção

4. Ao conseguirmos separar estas duas questões – que hoje tomam conta do debate nacional – creio que fica mais fácil conscientizar e mobilizar a sociedade brasileira A FAVOR do que corretamente a Câmara dos Deputados barrou (a pretendida isenção de procuradores e juízes contra excessos cometidos em suas práticas) e CONTRA o que a mesma Câmara dos Deputados rejeitou em relação às medidas anticorrupção, muitas delas corretas. Os deputados não fizeram mais do que protegerem a si mesmos e a seus comparsas. Não nos misturemos a eles.

Salvadora da Pátria

5. Misturar as duas questões, passando a defender TUDO o que foi aprovado na Câmara, como vem fazendo parte da esquerda a meu ver de forma equivocada, deixa a sociedade ainda mais “perdida” e cria as condições para que a direita conservadora – como sempre usando de má fé e contando com o apoio da mídia corporativa -, se aproveite da confusão e se apresente, de novo, como a “salvadora da Pátria”. E a manifestação convocada para o dia 4 indica isso.

Judiciário

6. Rejeitemos fortemente, portanto, a iniciativa daqueles que querem passar a ser considerados “deuses” imunes a qualquer controle (procuradores e juízes), mas mantenhamos de forma intransigente e pública nossa postura de rechaço a qualquer ato de corrupção, apoiando medidas efetivas para sua prevenção, minimização, controle e punição exemplar, incluindo o ressarcimento de forma ágil aos cofres públicos dos crimes cometidos.

Buscando ser ainda mais claro e dando nome aos bois, para que não reste dúvidas sobre o ponto que levanto: se a esquerda se apegar apenas à primeira questão do debate, com base nos excessos e ilegalidades de Sergio Moro e dos procuradores do Ministério Público, abrindo mão de sua liderança histórica no combate à corrupção no Brasil (objeto de desejo do conjunto da sociedade) poderá se auto condenar a ficar ao lado dos corruptos que, tomado o poder via golpe, agora querem se proteger em relação a tudo que vitimou o PT e seus aliados (PMDB, PP principalmente).

A Arapuca

Cabe a nós – como sempre – conscientizar, esclarecer, mobilizar no sentido de separar as coisas. Sei que é difícil. A “grande mídia” não nos dá voz e, ao contrário, se engaja fortemente na desinformação e na produção de um número cada vez maior de midiotizados.

Usar todos os nossos instrumentos para combatê-la é essencial. Mas antes precisamos ter clareza da armadilha preparada. Não caiamos nela”.

 


 

P. S – Retirado da timeline do jornalista Osvaldo Maneschy, no Facebook em 01dez2019.

Charge: Latuff

P. S. –  Reitero também o pedido feito em muitos momentos da vida deste blog e presente na página de “Advertências“. Observações, sugestões, indicações de erro e outros, uma vez que tenham o propósito de melhorar o conteúdo, são bem vindas. Coloquem aqui nos comentários ou na página do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.