Lanterna Azul - DC Comics

Lanterna Azul – Diógenes na captura

A Lanterna de Diógenes

Neste texto, vou fazer algumas coisas pouco usuais, uma delas é falar de coisas abstratas e filosóficas que exigem que a arte de pensar se sobreponha à da leitura, Certamente, ao cunhar o termo lanterna azul, referindo-se ao Cruzeiro, estarei usando duas palavras que nunca deveriam estar juntas. Somente a leitura do texto inteiro, inclusive parte copiada de outro blog, é essencial para que tudo seja colocado de forma clara e objetiva.

Metáforas

Assim sendo, inicio reproduzindo um texto do blog Metáforas, intitulado “A Lanterna de Diógenes” que poderia ficar somente no link, mas faz-se necessário para evitar maiores explicações. A Lanterna Azul tem muito a ver com o texto.

A Lanterna Azul

Por Glória Galli (publicado em 1dez2018)

A expressão A lanterna de Diógenes é usada como símbolo da procura de homens honestos.

Conhecendo a expressão:

Diógenes de Sinope, também conhecido como Diógenes, o cínico, foi um filósofo grego e um 
dos fundadores da filosofia cínica. Esse filósofo nasceu em Sinope, possivelmente em 
404/412 a.C., na Turquia, e morreu em 323 a.C. em Corinto, na Grécia.

Exilado de sua terra natal, passou a viver em Atenas e aí criou um estilo próprio de vida, 
criticando os valores sociais e as instituições, acreditando-as corruptas. O termo cínico, 
aqui, diferentemente do sentido do senso comum, representa uma filosofia de vida que 
acreditava-se isenta das regras de pudor criadas pela sociedade – total liberdade ao corpo.

No entanto, Diógenes passa a criar um estilo de virtude da pobreza – passou a viver dentro 
de um grande vaso de barro, instalado em via pública.

Porém, o ponto alto da sua história é que ele andava pelas ruas, durante o dia, carregando 
uma lanterna, dizendo estar a procura de um homem honesto.

Esse é o significado do símbolo de "A lanterna de Diógenes".

A Lanterna Azul

Dessa forma, creio que os cruzeirenses irão entender o contexto e minha resoluções feitas a partir de fatos e situações que se aproximam. Nas pesquisas que faço, quando vou escrever qualquer texto, descubro significados que podem causar dúvidas ou interpretações equivocadas. Na maioria dos casos, deixo para a curiosidade dos leitores aprofundarem no tema, o que não vai acontecer aqui com dois tópicos: 1) Blue Lantern Corps e 2) Síndrome de Diógenes.

Blue Lantern Corps

Descobri uma tal de Blue Lanterns Corps (DC Comics ) e seus personagens. Esta Lanterna Azul é do que precisamos para combater o mal que assola o Cruzeiro. Certamente, eu nunca havia ouvido sequer a citação a este personagem, sabia do Lanterna Verde, mas azul, nem pensar. Se bem que, analogamente à trupe ficcional, precisaremos de muitos poderes e heróis para vencer os malditos que nos atacam e enganam muitos torcedores.

Síndrome de Diógenes

Outra acepção, e esta é mais perversa, foi adotada por psicólogos por em 1966. Chamaram de Síndrome de Diógenes, numa alusão ao Diógenes, o Sinopeus, um transtorno. Identifica pessoas que possuem um distúrbio comportamental típico. De forma igualmente perversa, colocam características que Diógenes via nas pessoas e dele próprio, como associadas à Síndrome. Nenhuma frase deste texto tem qualquer relação com a tal Síndrome e nem tentem concluir que este texto é produzido por efeito de algum distúrbio.

Lanterna Azul

Assim sendo, esta Lanterna Azul aqui é uma característica que pode ser atribuída a uma pessoa arrogante, que tem dificuldade para aceitar opiniões pouco fundamentadas. Como se não bastasse, uma pessoa que tem aversão à bagunça, que tenta fazer com que as cosias sejam “limpas”.

Lanterna Azul Indignada

Em suma, prefiro a filosofia de Diógenes do que aderirmos ao desenho ficcional, fugiremos muito da nossa realidade dura, nua e cruel. Por outro lado, repilo, sobremaneira, qualquer alusão à síndrome comportamental moderna atribuída por psicólogos.

Palestra e Cruzeiro

Feitas as apresentações e desambiguações, estamos, finalmente, como Diógenes, o Sinopeus, com muito de seu caráter cínico e sem nenhuma hipocrisia.

Demorei algumas semanas para tomar uma decisão, esperei terminar o Brasileiro, esperei interventores, e cansei vendo gestores fazendo o que eles achavam ser melhor para o Cruzeiro. Foi tudo em vão, os grupos de conselheiros (uns CINCO) que tomaram o Cruzeiro e querem ser donos do futebol, venceram e estão tocando tudo do jeito que querem. É claro que aquilo que vai para a mídia mostra somente meias verdades, esconde Interesses e interessados no futuro.

Vou manter minhas associações ao Sócio do Futebol (duas categorias) e continuar na linha de procurar quem mereça mais consideração para ter meu apoio. Reconheço que é insignificante apoiar ou não, como disse, reservadamente, um certo conselheiro “italiano” – não considerarmos torcedores de redes sociais – mas que nas redes sociais posa de democrata e amigão.

Diógenes

Assim como o grego, estou à procura de gente que possa dar a felicidade aos cruzeirenses – entendida como autodomínio e liberdade – com toda a certeza, o ideal para o verdadeira realização do torcedor. Temos que combater os prazeres mundanos que vivemos nas redes sociais, o desejo/cobiça, a luxúria e outros “pecados”. A virtude está longe de ser praticada e somente ela levará o Cruzeiro de volta à sua trilha natural.

A bem da verdade, somos poucos “Diógenes” com uma Lanterna Azul, não estamos buscando mecenas que usem disso para tomar algo mais adiante.

Nossa paixão pelo Cruzeiro é eterna e não está à venda e aqueles que vendem sua paixão não são cruzeirenses de verdade, o Cruzeiro não é uma gôndola no supermercado para os cruzeirenses.

Vejo que, cada vez mais, as predições que venho fazendo, vão se confirmando, o Cruzeiro, surpreendentemente, caminha só, como escrevi em “Walk Alone Azul“.

Vamos caminhar juntos ?

 

Imagem: DC Comics

 

Nota do Autor

Reitero, dentre outras, o pedido feito em muitos textos deste blog e presente na página de “Advertências“.

  • Observações, sugestões, indicações de erro e outros, uma vez que tenham o propósito de melhorar o conteúdo, são bem vindas.
  • Coloquem aqui, nos comentários, ou na página do Facebook, associada a este Blog.
  • Alguns textos são revisados, outros apresentam erros (inclusive ortográficos) e que vão sendo corrigidos à medida que tornam-se erros graves (inclusive históricos).
  • Algumas passagens e citações podem parecer estranhas mas fazem parte ou referenciam-se a textos ainda inéditos.

Agradeço a compreensão de todos e compreendo os que acham que escrevo coisas difíceis de entender, é parte do “jogo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.