Trabalho Remoto - EaD

Trabalho Remoto X Profissões do Futuro

COVID-19

As redes sociais estão provocando comportamentos que não imaginaríamos alguns poucos anos atrás, e quando temos uma pandemia como a provocada pelo SARS-CoV-2, contatamos que o mundo nunca mais será o mesmo. Algumas pessoas e coisas tem problemas específicos e que a solução ou as ideias de transformação são coletivas. A questão do trabalho remoto é uma destes temas que era mal tratado e que, após a pandemia, terá outra imagem diante de todos.

Anteriormente, escrevi sobre teletrabalho, a partir de problemas apresentados pela reforma trabalhista. Naquele texto (  Teletrabalho ou Home Office, tanto faz … ), a contraposição era com o termo home office, e fiz questão de segregar a questão do trabalho remoto. Entretanto, é impressionante como as pessoas não diferenciam, ou pior, como muitos “coaches” ficam falando de profissões do futuro para atividades antigas.

Profissões do Futuro e Trabalho Remoto

Alguns consultores, e aqui permitam-se incluir, “coaches“, mentores e congêneres, falam e escrevem sobre profissões do “futuro” como se o mercado de trabalho criasse alguma coisa nova. Escrevem textos em profusão, criam cursos para incautos, fazem lives e outras tantas atividades laborais como se fossem , até então, inexistentes.

Como se não bastasse, dão novos nomes para atividades funcionais somente por que usam uma ferramenta moderna, é como se o faroleiro usasse uma luz de led e GPS e alguém renomeasse a profissão como “Digital Lux”. Por outro lado, concordo com a nomenclatura e associação a uma novidade, para Piloto de Drone.

Assim sendo, a partir destes dois exemplos, queria relacionar algumas profissões citadas como profissões do futuro, dentre algumas outras dezenas, que exigem reflexão.

Títulos de profissões do futuro (*)

  1. Analista de Big Data
  2. Assessor de Influenciador Digital
  3. Coach de Bem-Estar Financeiro
  4. Consultor de Imagem
  5. Desenvolvedor de Software
  6. Especialista de e-Commerce
  7. Gestor de Segurança de TI
  8. Produtor de Conteúdo
  9. Professor Online
  10. Profissionais de Saúde Mental

Afirmo, portanto, que tentei relacionar profissões do futuro que tenham alguma coisa a ver com novo. Poderia escrever um texto inteiro sobre cada uma delas, explicando e provando porque não são profissões novas e que passaram somente a imagem de deja vú com mudança de nome.

O que importa aqui é a forma e a quantidade de tecnologia envolvida que cada uma destas atividades normais hoje, será outra daqui alguns dias, ou num futuro mais próximo por conta da COVID-19.

A questão central é quais destas profissões, funções, atividades suportarão o denominado trabalho remoto, Entretanto, reconheço que algumas atividades são especificas em função das tecnologias, e jamais precisariam de receber novos títulos ou sufixos como “digital” ou “web”, bastaria caracterizar o trabalho remoto nas atividades.

Trabalho Remoto

É extremamente falacioso quando leio algo de um “produtor de conteúdo” (coitados dos jornalistas, escritores etc) escrito como “… com o avanço das tecnologias e redes sociais …”; ou “… as redes sociais proporcionam o aparecimento de novas necessidades …”. Redes Sociais não criam novas necessidade, inventam coisas para justificar gente com atividade inútil como “influenciador” ou pior, “assistente de influenciador”. Mas é compreensível em função da horda de “miolos de pote” que invadem redes sociais superficiais e estultas.

Assim sendo, não devemos confundir a iminente transformação das atividades de muitas profissões do trabalho presencial em trabalho remoto. Por exemplo, muitos prédios comerciais tinha ascensoristas, hoje os elevadores são “inteligentes”. Estes mesmos prédios estão trocando porteiros físicos por eletrônicos e à distância, num processo que tem causado alguns problemas, mas funciona. Este é um exemplo de trabalho remoto e exploração do trabalho pois, um único porteiro que ficava no prédio oito horas, agora poderá ficar seis horas, tomando conta da portaria de seis prédios (isto está acontecendo !).

Com o avanço da tecnologia e, como consequência disso, o aparecimento de novas necessidades, algumas profissões começaram a surgir, enquanto outras já não existem ou estão se tornando obsoletas.

Nova economia

Escrevi, desde o início deste blog. vários textos sobre empreendedorismo e consequências da reforma trabalhista. Recentemente, logo após o início do isolamento e anúncios catastróficos sobre a economia, escrevi “Empreendedor Despreparado – A Fronteira FInal” e “Nanoeconomia Feudal no Século XXI“.

A abordagem da nova economia, conforme indicado nos textos supracitados, fará com que muitos trabalhadores nem se deem conta do que se meteram. A maioria vai se enganar com novos títulos para suas profissões e estarão jogados aos leões pois as taxas de desemprego, o sub-emprego e a ilusão do micro-empreendedorismo serão cruéis.

Por outro lado, aquele trabalhador que perceber como usar as tecnologias para se adaptar e fazer seu trabalho remoto, terá muito mais chances de continuar obtendo renda.

O que é mais interessante é que servidores públicos estão imaginando que estão imunes à pandemia e questões da economia, ledo engano, O Estado brasileiro é uma nau à deriva, o modelo econômico, que já era ruim e perverso por si só, não se preocupa com servidores públicos e trabalhadores sem renda. Entendem os representantes das oligarquias que estão no poder, que o capital deve ser preservado, mas esquecem que é o dinheiro do trabalhadores que faz girar a economia.

 

Trabalho remoto Futuro

O exemplo do porteiro que não atuará mais fisicamente postado no hall de entrada dos prédios, outras tantas profissões devem passar por reciclagem profunda e se adaptarem ao trabalho remoto, de verdade,.

Entre mortos e feridos, teremos muitas covas abertas, muita gente morta, muitos feridos e famintos. Além disso, muitos enganadores e  atravessadores (como os tais coaches e assessores de influenciadores digitais), que enganarão alguns poucos durante algum tempo, mas estão com as horas contadas.

A hora é de pensar, estudar, não cair em armadilhas e lives de gente enganadora, e pensar como podemos ter nossas atividades de até então, transformadas em trabalho remoto de utilidade.

Em tempos de pandemia, com a tal reforma trabalhista e outas maldades contra todos que precisam dos baixos salários e se submetem à precarização criminosa das relações de trabalho, fiquem atentos.

Não acredite em ninguém que não souber diferenciar trabalho remoto, home office, freelance, terceirizado e teletrabalho, fuja deste povo, nossa realidade é outra.

 

(*) – Relação obtida a partir de artigos na Internet sobre “Profissões do Futuro” e “Trabalho Remoto”. Portanto, recomendo, lives e vídeos como do Alisson Suassuna e o vídeo “Home Office – 4 profissões à prova de crise“.

 

Imagem: Reprodução Internet

 

Nota do Autor

Reitero, dentre outras, o pedido feito em muitos textos deste blog e presente na página de “Advertências“.

  • Observações, sugestões, indicações de erro e outros, uma vez que tenham o propósito de melhorar o conteúdo, são bem vindas.
  • Coloquem aqui, nos comentários, ou na página do Facebook, associada a este Blog.
  • Alguns textos são revisados, outros apresentam erros (inclusive ortográficos) e que vão sendo corrigidos à medida que tornam-se erros graves (inclusive históricos).
  • Algumas passagens e citações podem parecer estranhas mas fazem parte ou referenciam-se a textos ainda inéditos.

Agradeço a compreensão de todos e compreendo os que acham que escrevo coisas difíceis de entender, é parte do “jogo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.