Feliz 2022 - Evandro Oliveira

2022, o ano que já chegou ( ou não !)

2020, 2021 ou 2022 ?

Em primeiro lugar, raramente um texto deste blog tem seu conteúdo quase integralmente de outro autor. Neste caso, “2022, o ano que já chegou (ou não !)”, ganha destaque por um simples motivo: é como estou vendo a maluquice que vivenciamos. Assim sendo, vamos ao texto que é de autoria de Rômulo Paes de Sousa, com quem tive o prazer de trabalhar por algum tempo e aprender muito.

2020 começou e acabou ?

2020 não acabou e 2021 tá perto e 2022, certamente, já começou para muita gente e eis aqui um diagnóstico da nossa situação.

2022, o ano que já chegou ( ou não !)

por Rômulo Paes de Sousa
Como o ano de 2020 foi muito ruim e o ano seguinte não deverá ser muito melhor, muita gente já chegou a 2022.  Sobreviver ao novo Coronavírus e ao governo Bolsonaro exige-nos muita resiliência.
Um dos mais apressadinhos é o playboy simpático e madurão Luciano Huck. Arrependido eleitor do capitão, agora liberado pela Globo para fazer política, foi a luta para unificar partidos e personalidades de centro para nos livrar desta viral ignomínia.
Para quem não está acostumado com a cartografia política, eu explico: centro ou terra média é um espectro político que vai da sustentável e respeitável Marina ao vice-presidente, sabido admirador de torturadores. Em termos geográficos, seria um território que ocuparia a Europa, Ásia, África e Américas.
Huck não parece ter ganho uns quilos extras na pandemia, talvez por isso vai se excedendo em almoços com um monte de figurões, com acompanhamento on-line pelos grandes jornais, os quais por sua vez também já chegaram a 2022.
Facílima mídia espontânea ou seria mídia indutora?

Cientistas

Este agito incentivou outros centristas (sic) a buscar um pouco da luz dos refletores.
Moro saiu em defesa da correção de rumos do governo Bolsonaro. Embora, não tenha explicitado quais os caminhos em que o governo se perdeu. Clareza nunca foi o forte do ex-juiz, ex-ministro, ex-herói da extrema direita pátria.
Até o vice-presidente, VPR como se diz em Brasília, resolveu mandar suas mensagens ao futuro: é possível um governo razoável e responsável tendo a frente um ex-militar. Esse cara sou eu.
Como podem perceber, a extrema direita deste mundo mágico em que se produz a política é um lugar cada vez mais solitário e sombrio. Dizem que até o presidente do EEUU não manda mais lembranças: Sorry, my friend. I’m too busy, now.
Contudo, há o ano de 2021 no meio do caminho. Ano da 2ª grande onda da Covid-19, hiperinflação, queda brutal de renda, isolamento internacional do Brasil sem precedentes, escândalos envolvendo quem está no governo, mais crises com as milícias, assassinatos no campo, assassinatos nas cidades, fogo na Amazônia e fogo no pantanal.
Portanto, 2021 será punk.

Brasilândia

Ai de ti, Brasilândia!
Diante de tanto fracasso, a direita vai retornando ao armário. Agora, são todos do centro radical, neoliberais com compaixão. Amigos dos pobres e dos patrões, sobretudo destes últimos. Gente fina, mas que vez por outra se desespera e promove a barbárie.
Mas é melhor que não tratemos de temas tão indelicados.
Já estamos no fim do ano e logo, logo, estaremos em 2021 ou quem sabe 2022.
Reproduzido do Facebook

2022 é logo ali

Enfim, diz a sabedoria popular que quando vamos envelhecendo o tempo passa mais rápido. Como se não bastasse tinha uma epidemia no meio do caminho. Por outro lado, a epidemia estava dentro de uma tragédia. Assim sendo, este país abençoado por Deus e bonito por natureza, não pode dar certo, não deu certo.

Mas cerramos fileira com Rômulo Paes por acreditar que não tá morto quem peleia … com STF e TUDO !

 

Imagem: Evandro Oliveira

Nota do Autor

Reitero, dentre outras, o pedido feito em muitos textos deste blog e presente na página de “Advertências“.

  • Observações, sugestões, indicações de erro e outros, uma vez que tenham o propósito de melhorar o conteúdo, são bem vindas.
  • Coloquem aqui, nos comentários ou na página do Facebook, associada a este Blog, certamente serão todos lidos e avaliados.
  • Alguns textos são revisados, outros apresentam erros (inclusive ortográficos) e que vão sendo corrigidos à medida que tornam-se erros graves (inclusive históricos).
  • Algumas passagens e citações podem parecer estranhas mas fazem parte ou referenciam-se a textos ainda inéditos.

Agradeço a compreensão de todos e compreendo os que acham que escrevo coisas difíceis de entender, é parte do “jogo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.