Ford e Fordismo - Tempos Modernos

A Ford na economia em vertigem

Ford do Brasil

É muito fácil mostrar que o Brasil certamente não é para amadores, neófitos e influenciadores millennials, embora alguns poucos estejam fazendo fortuna. A economia cambaleando, os economistas de plantão falando em recuperação, desemprego aumentando e a o assunto da Ford torna-se “cult“. Tem sido assim, acima de tudo e de todos, no “país que não pode dar certo” ( By Tim Maia – O Síndico ).

Como se não bastasse, aprendizes de feiticeiros ficam cagando regrinhas de economia quando mal estudaram o básico. Falam (melhor dizer que vomitam pelos dedos nos teclados) sobre sistemas econômicos sem saber nem o que falar e comparar.

Breve Histórico (Wikipedia)

Sem muitas delongas, a história centenária da Ford no Brasil pode ser resumida por um trecho extraído do Wikipedia.

“Ford do Brasil é a subsidiária brasileira da montadora estadunidense Ford. Fundada em 1919, a Ford do Brasil dedicou-se inicialmente à importação de veículos produzidos no exterior. Foi a segunda filial sul-americana da Ford, depois da Ford Argentina, e a primeira a se instalar no Brasil, inicialmente num armazém na rua Florêncio de Abreu, na cidade de São Paulo.

Desse modo, o anúncio da Ford de que fecharia suas plantas industriais em três municípios brasileiros (Taubaté-SP, Camaçari-BA e Horizonte-CE) não surpreende. Enfim, não vou ficar repetindo o que todos serão doutores daqui algumas horas e algumas consultas ao Google.

Custo Brazil

Esta conversa de que “… o Custo Brazil tirou a Ford do país e levou para a Argentina …” esta de acordo com gente mal intencionada e venal. A Ford, assim como outras do setor automobilístico, sempre se locupletaram dos impostos e benesses conseguidas com suor do trabalhador e contribuinte.

Como dito, o Brasil não é para amadores e a Ford nunca foi amadora no que faz. Seu fundador inspirou até métodos de produção e gestão, sugou ao máximo seus “colaboradores”. Faço alguma afirmações pois no início da minha vida profissional trabalhei numa concessionária Ford onde o Fordismo era executado na sua essência. Enquanto fui trabalhador daquela organização pude observar como funcionava o modelo de gestão das empresas estadunidenses, em especial de uma “Ford”.

Por outro lado, tenho escrito aqui no Blog sobre a tunga (  A Maior Tunga desde 1500 – Parte 3 )que estas corporações globais tem feito com o país, a pretexto de adotar a filosofia da privataria ( que neófitos e desavisados chamam de liberalismo ).

Ora… ora… ora… diria o falecido narrador de futebol ou, aquele outro que, iniciada uma partida dizia “… tai o que vocês queriam …”. Afirmo, como toda a certeza, que o proletariado deste sistema econômico não queria, mas sim aqueles que se locupletam há anos destas mamatas liberais.

A Ford obteve mais de R$ 20 bilhões em benefícios, vai ter que arcar com menos de R$7 bilhões de despesas para fechar suas atividades no país. Terá interessados nas plantas ativas sem problema algum e ainda poderá levar um “troco”. O script é repetido e, por exemplo, Juiz de Fora ficou encantada com a Mercedes e hoje sente os efeitos e mantêm as sequelas.

Ford, não me fode

Em suma, as coisas já não estão boas, os condutores da economia estão esperando o dólar abaixar ( nem é bom relembrar as promessas de campanha e o preço do gás, alimentos etc.) e vem esta bomba.

A Ford teve seus momentos, um carro deles em especial foi a minha paixão, o Maverick V8 como “motor canadense”, um cult dos amantes de carro “raiz”. Nunca tive um carro desta marca, e tinha lá meus motivos pois trabalhei dentro de uma concessionária e é como saber como são fabricadas salsichas.

Uma vez que o assunto Covid-19, pandemia, vacina, desemprego, subemprego, insanidade, genocídio e tantos outros são mais importantes, tirem este tema da pauta. De acordo com os bons manuais de redação, outrora utilizados nas principais redações, e vilipendiados por “redatores” de redes sociais, falem de fatos e menos de opinião de gente rude, inculta e bárbara que nem sabe onde fica o estepe do Corcel I.

RIP Ford, você foi a primeira a chegar aqui e uma das primeiras a mostrar a que veio, se fodeu por conta de coisas modernas e do futuro do carro movido a eletricidade. O mesmo acontecerá com outras e não vejo no brasil nenhuma discussão sobre a transformação industrial automobilística no sentido da inovação.

Enfim, o que tem de habitante de rede social achando que a Ford é diferente de outras que vieram e foram, é diferente de empresas globais que não estão nem aí para consumidor otário, é assustador.

Desse modo, só tenho que pedir para a mídia, para os influencers de rede social e a Ford para não me foderem.

Pitaco final

Ler de políticos fazendo analogias com a manutenção da fabrica de pick-ups na Argentina, habitantes de redes sociais escrevendo gracinhas pueris é das coisas mais deprimentes sobre a Ford e nossa situação.

Logo depois do anuncio do fechamento das unidades da Ford, as ações da montadora sobem na Bolsa de NYC em dia de queda global. Comediantes de stand-up preocupados por terem comprado veículos Ford e clientes cancelando pedidos de veículos novos. Chaplin estava certo em seus “Tempos Modernos”, vivemos estes tempos até hoje.

Sem dúvida alguma, este país tem uma gente que não é séria e não pode dar certo, e vocês esperavam o quê de um país que tem uma Fordlândia ?

 

P. S. – Os episódios que beneficiaram a Ford na instalação em Camaçari (BA) e a falaciosa disputa com o estado do Rio Grande do Sul, é caso de polícia e Receita Federal pelo dinheiro entregue à montadora. #FicaaDICA !

 

É VERDADE

Espaço destinado a verdades em Pindorama que se contar, ninguém acredita e, provavelmente, não serão notícias boas. Será feita ao menos uma indicação por texto e, eventualmente, mais de uma poderá ser publicada.

 

Imagem: Reprodução “Tempos ModernosChaplin

Nota do Autor

Reitero, dentre outras, o pedido feito em muitos textos deste blog e presente na página de “Advertências“.

  • Observações, sugestões, indicações de erro e outros, uma vez que tenham o propósito de melhorar o conteúdo, são bem vindas.
  • Coloquem aqui, nos comentários ou na página do Facebook, associada a este Blog, certamente serão todos lidos e avaliados.
  • Alguns textos são revisados, outros apresentam erros (inclusive ortográficos) e que vão sendo corrigidos à medida que tornam-se erros graves (inclusive históricos).
  • Algumas passagens e citações podem parecer estranhas mas fazem parte ou referenciam-se a textos ainda inéditos.

Agradeço a compreensão de todos e compreendo os que acham que escrevo coisas difíceis de entender, é parte do “jogo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.