Gestante_Fumante

Greve Geral Legítima, desde 1917

1917 foi um ano especial.

Passados 100 anos, temos uma greve geral. A primeira, ocorrida no Brasil, iniciada no meio daquele ano de 1917, teve como estopim causas parecidas com as que motivam a greve desta data (29 de abril de 2017). Mas com alguns detalhes que não são percebidos por muita gente.

  1. Não havia nenhuma espécie de “direito” do trabalhador;
  2. Os senhores capitalistas, donos das tecelagens usavam contramestres como feitores;
  3. Algumas organizações e posições políticas (por exemplo, anarquistas) eram tidos como arruaceiros e baderneiros.

A origem

Sou neto de tecelão. A exploração da categoria durou até a invasão dos tecidos chineses, aí acabaram com a profissão de tecelão. Assim que funciona.

A greve de 1917 foi iniciada pela maioria de MULHERES que eram assediadas e obrigadas a trabalhar em regimes insalubres, inóspitos, jornadas de trabalho abusivas e salários baixos, em uma tecelagem. A greve expandiu-se, saiu de São Paulo, foi ao Rio de Janeiro, chegou a Porto Alegre. E não havia mídia apoiando, não tinha rede social, nada. A greve durou mais de trinta dias para muitos setores e empresas. Sem organização mínima que fosse.

Hoje

Se estas causas fossem transportadas para o dia de hoje, seriam motivo para uma Greve Geral por tempo indeterminado.

Quando leio mulheres defendendo reformas trabalhistas e da previdência; quando leio nas redes sociais mulheres atacando quem faz greve, fico imaginando o que estas mulheres pensam das regras “novas” que tratam do trabalho da mulher, da grávida e mãe com filho em fase de amamentação em ambientes insalubres a partir de um atestado médico.

Voltamos ao tempo em que médicos recomendavam que mães fumassem, “… para manter os filhos com peso baixo …”, e as empresas de fumo faziam propagandas com apoio dos médicos para vender seus cigarros. Acreditar que os médicos de hoje vão pensar na saúde da gestante e seus filhos é acreditar que estes médicos mudaram desde o milênio passado.

Quem propõe este tipo de legislação não deve ter mãe, não deve ter esposa e não deve ter filhas. É fruto de chocadeira.

Mais do que justo uma greve geral somente por esta questão sobre o trabalho de gestantes e lactantes.

Os golpista estão vencendo !

Imagem: Reprodução Propaganda Internet

Pedido de Doação

Meu irmão está precisando de doadores de sangue (qualquer tipo e fator), só assim ele, e muitos outros, conseguirão prosseguir com o tratamento e ter esperança numa melhoria e retomada da normalidade.

Carlos Henrique de Oliveira (paciente do Hospital Mater Dei)

Banco de Sangue – Hemoter

O Hemoter recebe doações para pacientes que estão internados em diversos hospitais. A doação pode ser realizada para paciente específico ou voluntário para o banco de sangue.

Telefone: (31) 3295-4584

Horário: 8h às 13h, segunda-feira a sábado (sábado, somente com agendamento prévio pelo telefone).

Endereço: Rua Juiz de Fora, 861, Barro Preto – Belo Horizonte.

 

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *