Direitos Dilacerados

Manipulação de massas (14)

Já escrevi aqui neste blog, e em muitos outros espaços virtuais que participo, que sou visto como um grande aliado das teorias conspiratórias. Defendo quase todas as minhas convicções de maneira firme, radical. A questão da urna eletrônica é uma delas, talvez a que mais me marcou.

Esta posição é curiosa pois leva a maioria das pessoas a verem em mim este comportamento em outras “editorias”, como, por exemplo, futebol,  política, religião etc. Acontece que em alguns assuntos é possível provar, em outros, não passa de achismos, na maioria, as evidências são notórias, mas suscitam dúvidas, razoáveis e naturais.

A questão das reformas da Previdência e da Legislação Trabalhista tem sido manipuladas de tal modo que até as palavras Reforma e Mudança são misturadas como se fossem a mesma coisa. Para pior, é claro. Neste contexto, descreverei algumas mentiras perpetuadas pelos reformistas, através de mídia. A motivação para isto veio da pergunta de uma cozinheira que me serviu num restaurante de prato feito e que ouvia a minha conversa com outra pessoa e pediu que eu respondesse duas perguntas sobre o direito delas e as reformas. Ainda bem que o povão de verdade está buscando se informar. Uma pena que a maioria está sendo manipulada pela mídia e por pessoas que se dizem isentos mas não passam de agentes dos fascistas e ditadores reformistas. Os capangas acham que estarão imunes.

Reforma x Mudança

Reforma é a acção e o efeito de reformar ou de se reformar. Costuma ser uma iniciativa ou um projecto que procura implantar uma inovação ou conseguir uma melhoria nalgum sistema ou numa estrutura. Essa reforma pode concretizar-se sobre uma questão simbólica ou abstrata como uma lei.

Mudança ou transformação pressupõe uma alteração de um estado,modelo ou situação anterior, para um estado, modelo ou situação futuros, por razões inesperadas e/ou incontroláveis, ou por razões planejadas e premeditadas. Mudar envolve, necessariamente, capacidade de compreensão de adoção de práticas para transformar. A sensibilização dos envolvidos é pré-requisito para a mudança.

Cuidado com reformistas e seus capitães-do-mato !

Mentiras da Reforma Trabalhista (1)

Existe, na regulamentação trabalhista atual, a previsão de que patrões e empregados tenham acordos, e que, na maioria dos casos, superam a legislação, desde que não prejudique o trabalhador em algum de seus direitos e conquistas.

A reforma dos golpistas e seus capatazes tenta dizer para os trabalhadores que “a negociação direta entre empresas e seus empregados será facilitada“. É o que se vê na mídia, nos comentaristas da mídia e nos perfis capachos das redes sociais.

Esta questão não pode ser analisada isoladamente. Ela é uma mentira isoladamente mas está sendo usada para armadilhas contra o trabalhador em outras questões.

Aliando a baixa capacidade do empregado em se defender, com as restrições aos sindicatos que impera nas mais diversas categorias, com a incapacidade e desinteresse do trabalhador se mobilizar coletivamente e o discurso dos capatazes, feitores e trabalhadores pejotizados, cria-se o ambiente propício para o empregador e seus prepostos reformarem o que está previsto no Art. 7 da CF/88 e impor condições que rebaixem e fragilizem as condições de trabalho dos empregados.

Este item da reforma é enganador e vai facilitar e dar ares de legalidade ao não cumprimento, pelo empregador, de direitos trabalhistas, inclusive muitos dos quais são assegurados constitucionalmente. Hoje, quase trinta anos após a promulgação da CF/88, temos avanços constitucionais sendo rasgados, e a defesa destas reformas pela mídia e feitores do capital é uma forma vil de manipulação das pessoas.

Imagem: Vítor Teixeira

Pedido de Doação

Meu irmão está precisando de doadores de sangue (qualquer tipo e fator), só assim ele, e muitos outros, conseguirão prosseguir com o tratamento e ter esperança numa melhoria e retomada da normalidade.

Carlos Henrique de Oliveira (paciente do Hospital Mater Dei)

Banco de Sangue – Hemoter

O Hemoter recebe doações para pacientes que estão internados em diversos hospitais. A doação pode ser realizada para paciente específico ou voluntário para o banco de sangue.

Telefone: (31) 3295-4584

Horário: 8h às 13h, segunda-feira a sábado (sábado, somente com agendamento prévio pelo telefone).

Endereço: Rua Juiz de Fora, 861, Barro Preto – Belo Horizonte.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *