La se foi o boi com a corda - Youtube

E lá se foi o boi com a corda !

E lá se foi o boi com a corda

Em primeiro lugar, deve-se ressaltar que algumas expressões populares têm significado e vão muito além da filosofia. Como se não bastasse, são mais intensas para aqueles que entendem da aplicação deste conhecimento do povo. “E lá se foi o boi com a corda” é uma destas expressões que dão um trabalhão para descobrir a origem, significados e aplicações.

Desse modo, ouvi a expressão que não ouvia há muitos anos, com toda a certeza que não fazendo parte das redes sociais, muita gente nunca ouviu. Entretanto, assim que ouvi comecei a rir, porque não ouvia há muito tempo e porque percebi que ela se aplica aos tempos em que vivemos, especialmente esta pandemia e o “voltar ao normal“.

Origem

A expressão ou mesmo a frase inteira tem origem duvidosa. Os gaúchos dos Pampas avocam a origem, mas ficam muitas dúvidas. Certamente, as citações mais apropriadas que li , vem dos gaúchos, especialmente relacionadas às políticas e à sociedade.

Por exemplo,  o Blog “Tomando na Cuia“, tipicamente gaúcho, faz uma menção bem interessante e que nos remete aos tempos atuais. no post ” se foi o boi com a corda “(1) cita o político Osmar Terra e sua política sobre vacina. Isso mesmo, 13 anos atrás o cara já fazia um estrago e acabou que ele se transformou em guru do Presidente da República. #Maktub

A expressão tem citações muito interessantes no interior de São Paulo e Minas Gerais e foi um conhecido mineiro que provocou a escrita deste texto. Portanto, analogamente ao que vivenciamos nas redes sociais e política nacional, podemos afirmar que não tem retorno, boi ou cavalo que vai embora com a corda, não volta nunca mais. Com toda a certeza, a quantidade de gado solto nas redes sociais ou enrustidos que estão mostrando suas verdadeiras caras e determinam que nada será “normal” como antes.

Poesia e Prosa

Ao pesquisar a expressão “e lá se foi o boi com a corda” deparei-me com várias versões de origem e do texto. O mineiro do interior engole os artigos, o nordestino usa palavras semelhantes para sua prosa de cordel mas, com certeza, é difícil encontrar com a grafia mais “clássica”.

Frase popular não pode ser rebuscada, cheia de artigos definidos e sintaxe correta. A Internet e as redes sociais são pródigas na execução de ações que, segundos depois, caberia o “se foi o boi com a corda“. Por exemplo, quando você enviar aquela mensagem no Whatsapp e tem alguns segundos para excluir “para todos”, é o arrependimento. Certamente, se deixar passar alguns minutos, alguém vai ver, não tem volta, alguém salva e copia.

Por outro lado, encontrei algumas expressões da cultura popular, dos primórdios das redes sociais, que me fizeram pensar que nem tudo está  perdido.

Música

A letra da música de Bruno e Barreto (gênero sertanejo) é curiosa e usa a expressão de maneira superficial, tosca e pueril.

Lá se foi o boi com a corda
Eu quebrei minha promessa
Voltei a beber de novo
E é tudo culpa da galera

Me jogaram na piscina
Com o celular no bolso
Motorista da rodada
Também já tá muito louco

E agora como é que eu faço
Se eu vim escondido
Se alguém postar uma foto eu tô
E agora eu tô numa enrascada
O número que eu lembro
É o da minha namorada

Amor, eu sou um sobrevivente
Dessa noite muito louca
Quase que me afoguei
Mas me fizeram boca a boca
É sério, juro pela minha sogra
Assim que o povo acordar, eu miorá, eu vou embora

Que festa louca, mas que noite doida
Essa pegação, beijo na boca
Se for pra me comportar
Meu amor, eu não prometo

Em suma, a dupla tem alguns milhões de seguidores (estúpidos) e os comentários da música revelam muito sobre as pessoas nas redes sociais. A pandemia veio para expor o caráter das pessoas da forma mais real possível, a estupidez venceu e o boi com  corda se foi de vez. Não tem volta, não tem normalidade, vivíamos num mundo da fantasia que afasta as pessoas que pensam e que querem sobreviver de verdade.

Perdemos !

Normalidade e o Boi com a corda

Enfim, tem sido comum (o que é errado) lermos e ouvirmos as pessoas, nas redes sociais e fora delas, dizer: – quando voltar ao normal a gente vai

Esqueçam, voltar ao normal é a mesma coisa que ouvíamos quando crianças: – na volta a gente compra; certamente vocês foram e continuarão sendo enganados.

Para quem não está acostumado, voltar ao normal não tem jeito, é como um boi que foi amarrado com uma corda e solta-se com corda e tudo, não tem volta. é mais ou menos como disse o ex-ministro golpista, tem que ver isso daí, ” com STF e TUDO ” que depois não tem volta.

Além disso, estamos conhecendo melhor as pessoas que chamávamos de amigos, aqueles que sentávamos numa arquibancada de futebol, bebíamos numa mesa de boteco ou íamos à praia. Estou realmente arrependido por ter chamado estes seres de amigos ou colegas, mesmo que alguns sejam até parentes, é um terror, uma calamidade, e não tem volta, podem acreditar.

Virou terra de ninguém e reina o “Mistifório das Redes Sociais“, e, como pode ser pior, é provável que o mundo não tenha acabado, mesmo com os absurdos que o povo brasileiro está aceitando passivamente como boi preso com corda e babando. O país dos que não queriam vermelho na bandeira tem, agora, uma bandeira vermelha escuro na conta de luz, ô vida de gado !

 

(1) Tomando na Cuia – Se foi o boi com a corda

 

Imagem: Reprodução Youtube

Nota do Autor

Reitero, dentre outras, o pedido feito em muitos textos deste blog e presente na página de “Advertências“.

  • Observações, sugestões, indicações de erro e outros, uma vez que tenham o propósito de melhorar o conteúdo, são bem vindos.
  • Coloquem aqui, nos comentários ou na página do Facebook, associada a este Blog, certamente serão todos lidos e avaliados.
  • Alguns textos são revisados, outros apresentam erros (inclusive ortográficos) e que vão sendo corrigidos à medida que tornam-se erros graves (inclusive históricos).
  • Algumas passagens e citações podem parecer estranhas mas fazem parte ou referem-se a textos ainda inéditos.

Agradeço a compreensão de todos e compreendo os que acham que escrevo coisas difíceis de entender, é parte do “jogo”.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.