Pecados Capitais

Pecados Capitais – Do Século IV ao Século XXI

AVISO – Sobre os Pecados Capitais (Origem)

Este texto é, com toda a certeza, uma cópia fiel e quase integral do original no Wikipedia que trata a temática dos Pecados Capitais. Desse modo, inserimos neste Blog como “Conteúdo Original” que será referências para diversos textos a serem publicados.

Contudo, pequenos ajustes forma feitos de acordo com técnicas SEO, sem prejuízo da compreensão original. Os Pecados Capitais, do mundo moderno e das redes sociais, nunca são praticados isoladamente, e pode, portanto, aparecer num combo completo.

Pecados Capitais

Representação dos os sete pecados capitais por Bosch.

Representação dos os sete pecados capitais por Bosch.

Os conceitos incorporados no que se conhece hoje como os sete pecados capitais tratam de uma classificação de condições humanas conhecidas atualmente como vícios, que precedem o surgimento do cristianismo. Assim sendo, estas condições foram usadas mais tarde pelo catolicismo com o intuito de educar os seguidores, de forma a compreender e controlar os instintos básicos do ser humano e assim se aproximar de Deus.

A lista final, apresentada no Século XIII é, portanto, uma versão aprimorada de uma primeira versão, datada do Século IV. Além disso, todo esse esforço em descrever defeitos de conduta tinha um motivo: facilitar o cumprimento dos Dez Mandamentos.[1] Desse modo, a Igreja Católica classificou e selecionou os pecados da seguinte forma: a tríplice concupiscência que é a raiz dos pecados capitais; pecados capitais que são os pais dos outros vícios; pecados veniais que são perdoáveis sem a necessidade do sacramento da confissão e os pecados mortais que são merecedores de condenação por ferirem os dez mandamentos de Deus.[2] A partir de inícios do século XIV a popularidade dos sete pecados capitais entre artistas da época resultou numa popularização e mistura com a cultura humana no mundo inteiro.

Os sete pecados capitais

Gula

A gula é, acima de tudo,  o desejo insaciável por comida e por bebida. Segundo tal visão, a gula também está relacionada com o egoísmo humano: querer adquirir sempre mais e mais, não se contentando com o que já tem, ou seja, uma forma de cobiça.

Sua virtude oposta é, sobretudo, a temperança.

Avareza (Ganância)

A avareza (ou ganância) é o apego excessivo e descontrolado ao se ter tudo o que se deseja, fazendo de forma certa ou errada para se obter algo que sempre quis possuir.

Sua virtude oposta é a generosidade.

Luxúria

A luxúria (do latim luxuria) é o desejo passional e egoísta por todo o prazer sensual e material. Desse modo, também pode ser entendido em seu sentido original: “deixar-se dominar pelas paixões”.

Consiste no apego aos prazeres carnais, corrupção de costumes; sexualidade extrema, lascívia e sensualidade.

Sua virtude oposta, por consequência, é a castidade.

Ira

Analogamente à cólera, ira é o sentimento humano de externar a raiva e o ódio por alguma coisa ou alguém. É, primordialmente, o forte desejo de causar mal ao outro, e um dos grandes responsáveis pela maior parte dos conflitos humanos no transcorrer das gerações.

Sua virtude oposta é a paciência.

Inveja

A inveja (do latim invidia) ‘é o desejo exagerado por posses, status, habilidades e tudo que outra pessoa tem e consegue. Logo, é considerada pecado porque uma pessoa invejosa ignora suas próprias bênçãos e prioriza o status de outra pessoa no lugar do próprio crescimento espiritual. O invejoso ignora tudo com que foi abençoado e que possui, para cobiçar o que é do próximo.

Sua virtude oposta é a caridade, se bem que este conceito oposto esteja em divergência no mundo atual.

Preguiça

Do latim acedia. A pessoa caracterizada pela preguiça, é vista pela Igreja Católica como alguém que vive em estado de falta de capricho, de esmero, de empenho, em negligência, desleixo, morosidade, lentidão e moleza, de causa orgânica ou psíquica, que a leva a uma inatividade acentuada.

Sua virtude oposta é a diligência, contudo, pela quantidade de estados psíquicos, possui muitos outros comportamentos opostos.

Vaidade

A vaidade está, sem dúvida, associada à arrogânciasoberbaorgulhopresunção e futilidade e alguns outros defeitos de uma pessoa que sofre muitos julgamentos da sociedade. A vaidade, desta forma, consiste em aparentar ser superior a todos. Isso fez com que Lúcifer se sentisse mais alto que o próprio Deus.

Segundo o teólogo São Tomás de Aquino, a soberba era um pecado tão grande que deveria ser tratado em separado dos demais pecados capitais, merecendo atenção especial. Foi inclusive chamada de “a Rainha de todos os pecados capitais“, porque Soberba tem relação com o próprio ego. Enfim, todos os pecados capitais, antes de serem vivenciados, pensam somente em si e no prazer que podem adquirir. A Igreja Católica tira a Soberba e unifica a vanglória de vã glória, auto glorificação, ao orgulho e em consequência à vaidade, uma vez que, além da questão estética, tem haver com o narcisismo, a autoafirmação, a arrogância e o orgulho.

Sua virtude oposta é a humildade.

Nome em Latim

  1. Vaidade, em latim superbia
  2. Avareza, em latim avaritia
  3. Luxúria, em latim luxuria
  4. Inveja, em latim invidia
  5. Gula, em latim gula
  6. Ira, em latim ira
  7. Preguiça, em latim acedia

Desse modo, com as letras iniciais destas palavras latinas, formava-se o termo saligia, utilizado como referência aos pecados capitais como um só.

Comparação com os demônios

Anteriormente, em 1589Peter Binsfeld associou, com efeito, cada um dos pecados capitais com seus respectivos demônios seguindo os significados mais usados. De acordo com Binsfeld’s Classification of Demons, esta comparação segue o esquema:

As 7 Virtudes Humanas

Assim sendo, para cada um dos 7 pecados, também tem uma virtude oposta[3] a ele, que são:

  1. Vaidade – Humildade
  2. Avareza – Generosidade
  3. Luxúria – Integridade
  4. Inveja – Caridade
  5. Gula – Moderação
  6. Ira – Resiliência
  7. Preguiça – Plenitude

Teorias dos 7 Pecados Capitais

Segundo Evágrio do Ponto

Conforme o livro Sacred Origins of Profound Things ( Origens Sagradas de Coisas Profundas ), de Charles Panati, o teólogo e monge grego Evágrio do Ponto (345 – 399)[4] teria escrito uma lista de oito crimes ( culpas ) e “paixões” humanas, com o propósito de determinar uma ordem crescente de importância ( ou gravidade ):

  1. Gula (desequilíbrio da alimentação)
  2. Avareza (ganância, desequilíbrio do ter)
  3. Luxúria (desequilíbrio do prazer que o luxo traz, normalmente ligado ao sexo)
  4. Ira (desequilíbrio da emoção)
  5. Melancolia (depressão, desequilíbrio da autoestima para baixo)
  6. Preguiça (desequilíbrio do descanso)
  7. Orgulho (desequilíbrio da autoestima para cima)
  8. Vanglória (vaidade, desequilíbrio da humildade)

De acordo com Evágrio os pecados tornavam-se piores à medida que tornavam a pessoa mais egocêntrica, com o orgulho ou soberba sendo o suprassumo dessa fixação do ser humano em relação a si mesmo. Surpreendentemente, isso o afastaria do espírito, que é sua origem em Deus.

Segundo Papa Gregório I

No final do século VI o Papa Gregório I transformou o texto avulso numa recomendação oficial da Igreja, mesmo que tenha reduzido a lista a sete itens, juntando “vaidade” e “orgulho” (ou “soberba”), e trocando “acídia” (ou “preguiça”) por “indolência” e “melancolia” por “inveja“. Enfim, para fazer sua própria hierarquia, o pontífice colocou em ordem decrescente os pecados que mais ofendiam ao amor:

  1. Orgulho
  2. Inveja
  3. Ira
  4. Indolência
  5. Avareza
  6. Gula
  7. Luxúria

Segundo Tomás de Aquino

Outros teólogos, posteriormente, entre eles Tomás de Aquino, analisaram novamente a gravidade dos pecados e fizeram mais uma lista. No século XVII, a igreja substituiu “melancolia” – considerado um pecado demasiado vago – por “preguiça“.

A lista de Tomás de Aquino dos pecados capitais era:

Os pecados são diretamente opostos às sete virtudes, que pregam o exato oposto dos sete pecados capitais.

Dante Alighieri e o Malebolge

Dante Alighieri foi quem, de fato, popularizou o conceito dos pecados mortais, uma vez que na sua obra-prima, A Divina Comédia, descreve  não apenas os diferentes círculos do Inferno como os associou a cada um dos sete pecados capitais. Na primeira parte da Divina Comédia, Inferno, Dante teve que descer os nove andares do chamado Malebolge ( um Inferno em funil ). Cada um dos andares era, portanto, dedicado a um pecado, e quanto mais baixo mais graves eram. Os pecados eram: Soberba, Avareza, Luxúria, Inveja, Gula, Ira, Preguiça, Heresia e Mentira.

Heresia

A heresia é a crença em qualquer outro deus se não Deus, com o propósito de que, assim classificados, seriam vistos como demônios. Um herege não tinha fé em Deus, fazendo da heresia um pecado que levava a alma diretamente ao Inferno. Em outras palavras, toda e qualquer religião, culto ou crença que não contempla o Deus Judaico-Cristão é considerada pelos cristãos como hereges.

Mentira

É, com toda a certeza, a atitude de distorcer a verdade. A mentira é um pecado gravíssimo, pois uma pessoa pode mentir por diversos motivos, a maioria pecados. Um mentiroso, com toda a certeza, não cumpre um dos seus deveres para com Deus: a confissão.

Papa Bento XVI e o Pecados Capitais do Século XXI

Segundo Bento XVI, além da Saligia, os humanos teriam desenvolvido sete pecados capitais modernos. Eles são:

  1. Pressa: uma pessoa apressada não tem tempo para Deus, e, com efeito, a pressa origina Ira e causa acidentes.
  2. Manipulação genética: isso ( mexer com genes ) é o mesmo que ” brincar de Deus “, algo inaceitável.
  3. Interferir no Meio Ambiente: adicionar imperfeições à natureza ( Criação de Deus ), é, certamente, um pecado capital.
  4. Causar pobreza: retirar dinheiro dos outros por Avareza.
  5. Ser muito rico: causa desigualdade social, o que é inaceitável pois todos são iguais perante Deus.
  6. Usar drogas: interferir em seu organismo.
  7. Causar injustiça socialpreconceito e bullying, em sua maioria.

Enfim, o Vaticano divulgou essa lista ainda neste século, sendo eles os pecados capitais do Século XXI.

Ver também

Referências

[1] Revista mundoestranho.abril.com.br/Quem definiu os sete pecados capitais?

[2] Canção Nova ( 24 de setembro de 2010 ). «Pecado». Wiki Canção Nova. Consultado em 11 de fevereiro de 2015

[3] Ver artigo principal: Sete virtudes

[4] Ver artigo principal: Evágrio do Ponto

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja não apenas Pecado capital ( desambiguação ) como outros verbetes nos links indicados.

 

Pecados Capitais – A Série

Pecados Capitais – Mineirês

Em suma, este verbete do Wikipedia motivou a criação de muitos textos, devido à  associação destes pecados capitais com as redes sociais e os tempos modernos da Internet. A força dos 7 pecados capitais originais, e até mesmo suas variações ou antigas nomenclaturas são, surpreendentemente, atuais e aterrorizantes.

Por exemplo, os mineiros (do estado de Minas Gerais, Brasil) nem consideram a gula como pecado, se for para aproveitarmos da nossa originalíssima e saborosa gastronomia.

Se considerarmos ainda o dicionário de mineirês, a nossa cultura e outros pormenores, certamente, teremos algumas variantes que nos levam à época anterior ao descobrimento do Brasil. Afinal, a cultura milenar dos mineiros deve ter vindo de algum ponto do planeta, muito antes dos portugueses que aportaram na Bahia.

 

P. S. Mantenho, sobretudo, a convicção de que as virtudes devem prevalecer. Ver o texto ” As 7 Virtudes do Bushido “.

 

Imagem: Reprodução TheHistoryLiv

Nota do Autor

Reitero, dentre outras, o pedido feito em muitos textos deste blog e presente na página de “Advertências“.

  • Observações, sugestões, indicações de erro e outros, uma vez que tenham o propósito de melhorar o conteúdo, são bem vindos.
  • Coloquem aqui, nos comentários ou na página do Facebook, associada a este Blog, certamente serão todos lidos e avaliados.
  • Alguns textos são revisados, outros apresentam erros (inclusive ortográficos) e que vão sendo corrigidos à medida que tornam-se erros graves (inclusive históricos).
  • Algumas passagens e citações podem parecer estranhas mas fazem parte ou referem-se a textos ainda inéditos.

Agradeço a compreensão de todos e compreendo os que acham que escrevo coisas difíceis de entender, é parte do “jogo”.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.