Amácio Mazzaropi - O Caipira

Brasil Caipira – O Povo Brasileiro

Caí-Pyra

Caipira – De caí-pyra – O envergonhado, o tímido. Esta é a explicação de Theodoro Sampaio, mas, ao menos atualmente, caipira é o matuto, o roceiro que ainda não se deixou tomar pelas maneiras da cidade. Assim, achamos que venha de caá, mato e não de caí, o envergonhado.

in, Vocabulário Tupi-Guarani – Português – Silveira Bueno.

 

assim sendo, após uma definição apropriada, indico que este texto é parte de um conjunto de dez que ainda virão sobre estes tipos e algumas “revoluções” civilizatórias. Uma vez que foi inspirado na série de curtas-metragens do documentário “O Povo Brasileiro”, tem muitas aproximações com a vida atual do brasileiro.

Darcy Ribeiro

Darcy Ribeiro foi um mineiro, inegavelmente, muito acima da média. Antropólogo, historiador, sociólogo, escritor e político ( sim, existem políticos acima da média ) que deixou um legado pouco reconhecido e valorizado. Darcy em sua obra “O Povo Brasileiro” apresenta vários “Brasis” e o “Brasil Caipira” motiva este texto que está inserido numa proposta maior. Estou escrevendo sobre uma nova sociedade, que Darcy Ribeiro não teve oportunidade de ver.

Alguns leitores, decerto, interpretarão como presunção, outros nem entenderão a relação que venho fazendo entre vídeos, filmes e séries, especialmente documentários como “O Povo Brasileiro” e a nossa realidade pandêmica. Nos seus estudos sobre processos civilizatórios, o antropólogo e sociólogo não apenas indica várias revoluções como determinantes para avanço da sociedade.

Desse modo, ele identificou oito principais “revoluções” no processo evolutivo:

Imagino que se Darcy fosse vivo ( faleceu em 1997 ), certamente, estaria estudando a chamada revolução informacional.

O Caipira e a revolução

Em seu documentário, especialmente no “Capítulo 7 – Brasil Caipira” e a revolução vivida por este personagem brasileiro após 1950. Entende-se que até metade do Século XX os conflitos da sociedade brasileira eram resolvidos da maneira como a evolução da civilização sempre tratou.

O processo de industrialização ou utilização de tecnologias “importadas”, de bens de consumo não produzidos no país e outras modernidades, provocaram, sem dúvida, uma ruptura na nossa evolução. Poucos brasileiros, Darcy Ribeiro foi um deles, seriam capazes de estudar e descrever a antropogênese do Povo Brasileiro e ainda vai demorar muito tempo para muitos entenderem esta necessidade.

Assim sendo, a mudança provocada pela revolução industrial e termonuclear, conforme Darcy Ribeiro e outros antropólogos, mudou o país e, de certa forma, o caipira passou a ser um termo pejorativo. E, com toda a certeza, o que vemos nesse momento que vivemos no Brasil, é uma confusão das pessoas somente porque não tiveram educação e não respeitam a cultura.

Mundo Caipira

Aquela raça originada da mistura de brancos ( maioria de portugueses ) e indígenas, que avançou pelo interior de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e parte do Paraná fez surgir uma cultura. A inserção dos negros nesta sociedade, embora segregada até nos dias de hoje, gerou a cultura da pobreza e malemolência, injusta e cruel. O que deveria ser um arquétipo, virou estereótipo, especialmente em representações como do “Jeca Tatu“, personagem de Monteiro Lobato ou nos filmes de Mazzaropi.

O Bairro

No documentário, uma determinada passagem chamou a atenção para a ligação do que escrevi há algum tempo atrás. Em ” Nanoeconomia Feudal no Século XXI ” tentei apresentar o que seria a nova economia, falando do feudo, quando poderia me referir a bairro. Em um trecho foi dito “… a unidade básica da cultura caipira é o bairro. O bairro é a porção de território onde as pessoas se sentem como pertencentes à uma mesma comunidade …”

É neste espaço que as pessoas deveriam entender a cultura e simbologia do caipira, aquele caipira que disse “… um bairro é uma ´naçãozinha` tem muito mais cultura de sociedade e de nação que os neófitos usuários de tecnologias desnecessárias para se viver bem.

Redes Sociais

As redes sociais, a Internet e toda a tecnologia apropriada pela tal revolução provoca uma mudança monstruosa no comportamento das pessoas. Parimos uma geração de inúteis, mesmo que se acham os maiorais, como a ” Geração Diploma ” que não sabem ler, escrever e muito menos pensa. Como se não bastasse, os hedonistas inúteis são como o ” Zero à Esquerda ” uma vez que não entendem uma simples cultura do caipira.

Perdemos !

Enfim, todos aqueles que resolverem começar a entender nossa sociedade e o que está por vir, devem ler o livro e ver o documentário sobre o povo brasileiro. Portanto, devemos fazer releituras destes documentários com os momentos atuais. Os sistemas de comunicação de massa, as redes sociais e similares estão impondo uma cultura que é cruel. É notória a imposição de padrões de consumo intangíveis, apresentação de desejos inalcançáveis, aprofundando o abismo social, cultural e histórico.

A confusão de conceitos que leva uma jornalista, por exemplo, a fazer troça pela linguagem de um político, numa clara prática de ” Húbris “. Ao caipira, fica vedado praticar o mineirês sem que seja achincalhado. Narizinhos empinados, que mal sabem o significado das palavras e escrevem errado por ignorância, apontando seus dedinhos para os caipiras, sertanejos, matutos, como se soubessem alguma coisa da nossa cultura.

E, suma, o mundo caipira não é o Rodeio de Barretos e nem a música sertaneja “universitária”. Muito da nova economia, que denominei feudal, passa pelo resgate da cultura, com apropriação das tecnologias disponíveis, das origens e simplicidade do caipira.

 

Imagem: Amácio Mazzaropi – Por LuisK79 – Obra do próprio, CC BY-SA 4.0

Nota do Autor

Reitero, dentre outras, o pedido feito em muitos textos deste blog e presente na página de “Advertências“.

  • Observações, sugestões, indicações de erro e outros, uma vez que tenham o propósito de melhorar o conteúdo, são bem vindas.
  • Coloquem aqui, nos comentários ou na página do Facebook, associada a este Blog, certamente serão todos lidos e avaliados.
  • Alguns textos são revisados, outros apresentam erros (inclusive ortográficos) e que vão sendo corrigidos à medida que tornam-se erros graves (inclusive históricos).
  • Algumas passagens e citações podem parecer estranhas mas fazem parte ou referem-se a textos ainda inéditos.

Agradeço a compreensão de todos e compreendo os que acham que escrevo coisas difíceis de entender, é parte do “jogo”.

2 comments for “Brasil Caipira – O Povo Brasileiro

  1. Hermes
    14/03/2021 at 21:58

    Que sabedoria, né moço? Darcy Ribeiro é uma ideia que deveria ser passada às pessoas desde o berço, mas infelizmente, no Brasil de hoje e em boa parte do mundo, boas ideias não são uns bons negócios.

    • 14/03/2021 at 22:06

      Boas ideias, boas ações, TUDO que for para o coletivo, não é bem aceito.
      Mas tudo que for para o individualismo, para lustrar egos e destruir pessoas,
      tem espaço.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.