Tabebuia Handroanthus Rosa - Pampulha -Beagá

Muito além da Tabebuia amarela

Tabebuia ou Handroanthus?

Outro dia, num destes posts de rede social de um jornalista que sigo, foi postada uma questão sobre a pauta de cobertura jornalistica sobre os ipês, conhecido como Tabebuia. Estas árvores, começam a florescer nesta época do ano, de forma sequencial e em super cores maravilhosa.

O assunto ficou interessante quando alguém disse que tudo já havia sido dito e falado sobre o tema e as fotos multicoloridas deixaram de ser interessantes. Discordo em gênero, número e grau. Fui à luta, até para verificar se é possível garimpar informação de qualidade e confiável a partir de debates e polêmicas estéreis e pretensamente infrutíferas.

Segundo o Wikipedia,

Tabebuia, conhecido popularmente como ipêpau-d’arcopeúvaipé, ipeúna, é o gênero neotropical mais comum da família Bignoniaceae. Atualmente, a maioria das espécies de ipês brasileiros está incluída no gênero Handroanthus, e não mais no gênero Tabebuia.

A cor do Ipê

A discussão no post citado anteriormente, dizia respeito a questão, caracterizada como enfadonha, de algum editor, daqueles sem ter o que fazer e sem imaginação, pautar alguém, nesta época do ano, para tratar os ipês e da maravilhosa visão que eles proporcionam. A maioria concordou e fui das poucas vozes destoantes. Já fotografei muito ipê. Não me canso. E cheguei até a pesquisar sobre algumas curiosidades que nem alguns biólogos que consultei responderam com certo grau de confiança.

No Brasil, as cores amarela, roxa, branca e rosa são as mais comuns. No cerrado, especialmente, e até nas cidades, formam um belo espetáculo (odiado por quem tem que varrer passeios ou quintais). É uma árvore de multifuncionalidades que serve para ornamentação, alimentam abelhas para produção de mel de qualidade. Permite a produção de chás, inclusive expectorantes. As flores amarela e branca podem ser usadas, cruas ou cozidas, na alimentação e sua madeira ´resistente, leve, durável e macia.

Vamos combinar, uma senhora pauta. Desde que não haja preguiça.

Florescendo no inverno

O ipê começa a florescer no final do inverno, e meio que misteriosamente, as flores aparecem durante a primavera numa sequencia que ainda não encontrei quem me explicasse.

Com as mudanças botânicas citadas anteriormente, o nosso tradicional ipê ganhou companhia de outras árvores menos famosas no Brasil mas com floração semelhante e de cores mais intensas. Nas pesquisas e curiosidades que tenho visto, detectei a versão do Ipê Vermelho (existem ainda o Verde e o Tabaco).

O Ipê vermelho me chamou a atenção, especialmente por ter uma cor pouco comum e ter identificação como nativo do Cerrado e Caatinga do estado de Minas Gerais. A cor da bandeira de Minas. Este ipê vermelho ou púrpura, conhecido como Tabebuia Gemmiflora Rizzini & A. Mattos, é muito bonito. Sua presença é restrita no próprio estado, mas que merece uma pauta , merece.

Ipê Vermelho - Tabebuia gemmiflora

Ipê Vermelho – Tabebuia gemmiflora (Foto: Mercado Livre)

Curiosidades

Até o dia 7 de dezembro de 1978, o ipê era considerado a árvore nacional brasileira, mas pela lei nº 6507 daquela data dia, o Pau-Brasil foi nominado a árvore símbolo nacional. Deram um jeitinho de trocar a árvore e, pela mesma lei, transformar a flor do ipê na flor do símbolo nacional.

O Ipê vermelho, e outros menos comuns, proporcionam um mercado de venda de sementes que tem agitado aqueles que pretendem colorir seus terrenos, jardins, praças ou parques com cores vivas e extasiantes. Ainda vou plantar um ipê azul e outro branco.

Imagem: Evandro Oliveira (AME)

Pedido de Doação

Meu irmão está precisando, com URGÊNCIA, de doadores de sangue (qualquer tipo e fator). Só assim, ele e muitos outros pacientes que precisam de hemoderivados, conseguirão prosseguir com seus tratamentos. E poderão ter a esperança de uma melhoria e retomada da normalidade em suas vidas.

#DoeSangue

Carlos Henrique de Oliveira (paciente do Hospital Mater Dei)

Hemoter – Banco de Sangue

Hemoter recebe doações para pacientes que estão internados em diversos hospitais. A doação pode ser realizada para paciente específico ou voluntário para o banco de sangue.

Telefone: (31) 3295-4584

Horário: 8h às 13h, segunda-feira a sábado (sábado, somente com agendamento prévio pelo telefone).

Endereço: Rua Juiz de Fora, 861, Barro Preto – Belo Horizonte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *