Damocles Sword e o 31 de março

Golpes mortais e o 31 de março

31 de março de 1964

Em primeiro lugar, como sou avesso a “datas comemorativas”, esta data não tem nada de simbólica ou um sentimento de orgulho, é uma vergonha. Por outro lado, para alguns poucos, é chamada de data da revolução. o 31 de março é a data em que foi institucionalizado um Golpe de Estado.

Anteciparam a data para não cair num 1o de abril, que poderia ocasionar algum tipo de convulsão e desordem institucional da sociedade. Já imaginaram um golpe sendo anunciado no rádio e na TV num primeiro de abril em Pindorama ?

E ainda não exista a Rede Globo …

31 de março de 2017

Surpreendentemente, cinquenta e três anos depois, o agente do golpe ( aquele que assumiu um cargo a mando de terceiros sem que houvesse motivo plausível e honesto para tal ) resolve repetir o ato golpista na mesma data. Temer não quis esperar que emendas ou ressalvas ( as salvaguardas que protejam os trabalhadores ) fossem introduzidas na ” lei de terceirização ” e, desta forma, foi sancionada a lei contrabandeada de um PL desarquivado.

Espada de Dâmocles

Embora não seja uma situação parecida, fiquei pensando na história da Espada de Dâmocles onde um servil bajulador, endeusava e puxava saco do rei Dionísio, tirano de plantão. O bajulador teve a oportunidade de ser “rei” por um dia, mas com uma espada sobre a cabeça, pendurada por um fio.

Portanto, é esta a situação do trabalhador após aprovação de leis e mais leis que retiram direitos e precarizam o trabalho. Mais mortes, mutilações, precariedade certamente virão. Seja para os terceirizados ou para os trabalhadores fixos que terão seus grilhões renovados até completarem 65 anos ( se começarem a trabalhar com 15 anos ).

E ainda aparecerem os Dâmocles da vida achando que estão se dando bem. Tolos !

Desse modo, é golpe dentro de golpe, a cada 31 de março vemos as coisas se repetirem e sofremos golpes mortais a todo momento. Golpes dos mesmos áulicos representantes das oligarquias sempre contra os mesmos, o povo brasileiro.

Governador Valadares

Tudo começou em Valadares, naquele ano de 1964, com uma briga patrocinada pelo ex-governador de São Paulo e alguns camponeses que queriam somente a terra que era deles.

O documentário ” Na Lei ou na Marra ” – Vencedor do Prêmio Vladimir Herzog – mostra os acontecimentos no país 48 horas antes do maior golpe já perpetrado no Brasil.

Vergonha

Tem coisas que são muito insanas, uma delas é ver gente comemorando o 31 de março ou se alienando em relação aos fatos históricos. Não aprendemos nada !

Poderia escrever ou narrar depoimentos e documentários, como os feitos no ” Na Lei ou na Marra ” anteriormente indicado, será em vão. Com toda a certeza, quem escolheu um lado em cada golpe que recebemos terá a sua versão e motivação. A história é sim, contada pelos vencedores e isto deveria nos envergonhar e não ser motivo de orgulho parvo.

Somos, enfim, uma República de Bananas ou com a metáfora mais apropriada que já vi descrita, somos a República da Panákia e não existe 31 de março que não passe de golpe.

 

Imagem: Reprodução The Millennium Report

Nota do Autor

Reitero, dentre outras, o pedido feito em muitos textos deste blog e presente na página de “Advertências“.

  • Observações, sugestões, indicações de erro e outros, uma vez que tenham o propósito de melhorar o conteúdo, são bem vindas.
  • Coloquem aqui, nos comentários ou na página do Facebook, associada a este Blog, certamente serão todos lidos e avaliados.
  • Alguns textos são revisados, outros apresentam erros (inclusive ortográficos) e que vão sendo corrigidos à medida que tornam-se erros graves (inclusive históricos).
  • Algumas passagens e citações podem parecer estranhas mas fazem parte ou referem-se a textos ainda inéditos.

Agradeço a compreensão de todos e compreendo os que acham que escrevo coisas difíceis de entender, é parte do “jogo”.

 

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.