Agronegócio - Pulverização 2,4-D

Agronegócio e a economia global

Agronegócio

Stephen Kanitz vaticinou ” A agricultura será o motor da economia nessa próxima década“. Com toda a certeza, o minúsculo texto de diminuto título ” 2020 a 2029 ” está se referindo ao grande e poderoso agronegócio das Commodities. Depreende-se da predição do autor que ele refere-se àqueles produtos agrícolas que o Brasil notabilizou-se pelos seus “Ciclos” da economia. Em algum momento do passado, eu escrevi sobre voltarmos à Idade Média. Portanto, agora posso me referenciar, a partir de Kanitz, que denominação agronegócio refere-se a “Ciclo da Soja“, assim como foi com a Cana-de-Açúcar, Café etc.

Veneno e crime no Agronegócio

Esta série que iniciei a partir do assombro que fiquei com as férteis predições “otimistas” de Kanitz tem me causado um misto de pavor e paralisação. Fico impressionado com a quantidade de seguidores e gente que habita as redes sociais repetindo o “mantra” do epistemólogo do Guedes (o ministro).

Desse modo, fico triste ao constatar que um problema que vem sendo detectado há algum tempo chegou às raias da justiça. E olha que a briga é entre eles mesmos, os donatários das sesmarias e que dominam o agronegócio para exportação. A disputa é sobre o estrago que o veneno conhecido como 2,4-D, banido da maioria dos países do mundo, tem feito a outras culturas.

2,4-D

A aplicação do agrotóxico 2,4-D nas plantações de soja no Rio Grande do Sul, por exemplo, tem dizimado a cultura da uva e ampliado o prejuízo dos produtores dessa cultura. Como se não bastasse a erradicação da cultura ou prejuízo a outros alimentos, a Federação da Agricultura do RS manifestou-se contra qualquer limitação ao uso do 2,4-D. O Governo federal lava as mãos de maneira criminosa para agradar seus apoiadores e correligionários.

Cerrado

Em um documentário sobre os crimes e degradação ambiental, a questão da soja como expoente do agronegócio é elevada a uma questão de disputa ideológica. Em ” Ser Tão Velho Cerrado “, um documentário sobre questões ambientais, um governador e seus parceiros do agronegócio são alvo de questionamento; e eles se posicionam contra tudo e todos que entrarem no caminho deles.

Celeiro do Mundo

Quando ouvi pela primeira vez a expressão “Celeiro do Mundo”, referindo-se ao Brasil, passei a estudar e ler sobre o assunto. Com toda a certeza, se a expressão refere-se à possibilidade de que sejamos os maiores produtores de alimentos do planeta, eu vou convergir. Contudo, eu nunca imaginei que o preço a se pagar fosse este tsunami que os grandes exportadores estão fazendo com os pequenos produtores de alimentos.

Talvez ( #SQN ) Kanitz tenha se referido na frase a agricultura incluindo a economia local ou de outro país. Certamente, fica cômodo jogar uma frase destas no ar, pensando no agricultor de soja que destrói as parreiras, ou o outro que dilacera o bioma do Cerrado. Entretanto, é providencial ser curto na frase para ter saída e vir com o velho ” você não entendeu …”.

O mundo já está uma porcaria com esta pandemia e a estultice e superficialidade das redes sociais onde um BBB dá mais audiência e dinheiro do que um debate sobre os malefícios do agronegócio de exportação e ainda vem este tipo de pensamento. Mas fico triste mesmo não é com o Kanitz jogando uma frase destas num texto simplório, fico indignado com os comentários e horda de bajuladores.

Agronegócio e Morte

Em suma, o mundo do agronegócio divide-se em exportadores e negócios internos. E, neste sentido, os exportadores não estão nem aí para o país. Não sei quantos “motores” tem a economia e nem qual o escopo da “agricultura” que imaginou Kanitz ao fazer suas futurologias, mas com certeza tem muita coisa errada além da omissão criminosa do governos e entidades de agricultura em relação aos venenos liberados nos últimos anos.

Há limites para este povo seguidor dos “Chicago Boys” continuar dizimando vidas e alimentos ?

Afinal, as predições otimistas de Kanitz se confirmarão  ( ver Stephen Kanitz e as 12 predições otimistas ) ou estou sendo muito “pessimista” ?

 

É VERDADE

Espaço destinado a verdades em Pindorama que se contar, ninguém acredita e, provavelmente, não serão notícias boas. Será feita ao menos uma indicação por texto e, eventualmente, mais de uma poderá ser publicada.

 

Imagem: Reprodução Portal Bahia Ligada

Nota do Autor

Reitero, dentre outras, o pedido feito em muitos textos deste blog e presente na página de “Advertências“.

  • Observações, sugestões, indicações de erro e outros, uma vez que tenham o propósito de melhorar o conteúdo, são bem vindas.
  • Coloquem aqui, nos comentários ou na página do Facebook, associada a este Blog, certamente serão todos lidos e avaliados.
  • Alguns textos são revisados, outros apresentam erros (inclusive ortográficos) e que vão sendo corrigidos à medida que tornam-se erros graves (inclusive históricos).
  • Algumas passagens e citações podem parecer estranhas mas fazem parte ou referem-se a textos ainda inéditos.

Agradeço a compreensão de todos e compreendo os que acham que escrevo coisas difíceis de entender, é parte do “jogo”.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.