Eu acredito

Eu Acredito ! – O segredo para virar o jogo.

Eu acredito !

Este texto é sobre o drama vivido pelo Cruzeiro, por sua torcida e, porque não dizer, pelo futebol brasileiro. Venho dizendo há muito tempo que o que aconteceu com o Cruzeiro foi um colapso(1). Aproximadamente 98% da torcida do Cruzeiro(2), surpreendentemente, acredita que é só uma crise, e se pega com fatores até esotéricos como se isso fosse resolver. O “Eu Acredito !”, que motiva e patrocina este texto tem um duplo ou triplo sentido e nada tem a ver com algum tipo de zoação regionalista.

Este texto foi totalmente baseado na realidade que acompanho do Cruzeiro, da torcida, da mídia e todos os demais intervenientes e um filme produzido dez anos atrás.

Analogias devem ser feitas de maneira cuidadosa, vendo o comportamento da torcida e da mídia nas redes sociais, eu acredito que ” Moneyball ” é a melhor opção para comparações.

Moneyball

É simples, quem lê somente o título do texto ou aqueles que não conseguem prestar atenção, até em assuntos de seu interesse, além dos 280 caracteres, nem merece ler o restante.

Entretanto, quem consegue pensar mais globalmente, e separar as ações locais e isoladas, pode começar a ajudar o Cruzeiro. É simples, só a condição de pensar quando se lê qualquer coisa sobre, vinda de quem quer que seja, ler e reler antes de sair compartilhando, ajuda muito.

Moneyball é um filme estrelado por Brad Pitt, sobre beisebol. Confesso que beisebol não está entre o “top 10” de esportes de minha preferência e nem como experiência fotográfica faz parte da minha lista de desejos. Entretanto, foi o filme que vi que mais se adapta nesse furacão de esquisitices que a torcida, dirigentes, mídia, jogadores etc. estão nos proporcionando.

Desse modo, quem assistiu ao filme vai se deliciar com a narrativa e comparações, notadamente pela semelhança de frases e expressões da tradução e algumas expressões que os cruzeirenses conhecem bem. “Manobol”, Eu acredito, Adapte-se ou morra, “ser vice não vale nada”, enfim, tem tudo a ver com a nossa realidade.

Economia

Como de hábito, não faço spoiler de filmes e séries que uso para meus textos, o propósito é somente agregar uma visão diferente para filmes  que parecem somente entretenimento.

O problema maior do time que serve ao enredo do filme, acima de tudo, é o dinheiro. Uma equipe com orçamento cinco vezes maior do que um grande e que entra numa competição para participar, portanto, este é problema para todas as equipes.

Tem torcedor que se contenta com participar somente e não pensar em ser campeão de alguma coisa?

E este torcedor está disposto a pagar quanto para deixar de participar e entrar no grupo de protagonistas?

O que apareceu de economista nas redes sociais, vomitando a solução para o Cruzeiro sair do colapso é uma coisa impressionante. E é um economista que se propôs a mudar o jogo.

Os mais apressadinhos poderão estar pensando que estou sugerindo economistas para o Cruzeiro. Com toda a certeza, vocês estão sendo apressados e fazendo conclusões equivocadas.

Responsáveis

Poucos dias atrás, dirigentes de clubes brasileiros da ” Série A ” levaram à CBF uma proposta de Liga para o futebol brasileiro. Certamente, não tem nenhuma semelhança com as ligas estadunidenses e de outros países. Os responsáveis pelo futebol brasileiro não aprenderam nada com os famosos “7 a 1” e pior, diante de uma pandemia ainda zombam do torcedor.

Assim sendo, bem que poderíamos, mas não vou, colocar a responsabilidade pelo caos somente nestes dirigentes, e muito menos julgá-los pelas suas idiossincrasias.

Aqui, tem espaço para todos. Por exemplo, quando, alguns anos atrás, alguns poucos cruzeirenses escreviam sobre a importância de que o torcedor “adotasse” o time, fomos rechaçados. Enquanto poucos pediam para torcedor aderir aos programas de afiliados, outros, em benefício próprio, recomendavam desistir ou ficavam chamando dirigente de “mito” ou presidente-raiz.

Aceitem que dói menos, vocês tem parcela de responsabilidade pela omissão e por seguir gente que não presta.

Mudando o jogo

Em Moneyball, as frases parecem sair de uma reunião de nosso time preferido ( e vale para torcedores de todos os times ). Por outro lado, os dirigentes e torcida não se parecem em nada com o que temos ou sabemos no Brasil. Jogadores e técnicos tem uma verossimilhança que chega a assustar.

O título do filme no Brasil é ” O Homem que Mudou o Jogo ” e aborda de maneira quase perfeita a frase feita ” é muito além de futebol “.

Em suma, o recado que tenho para todos que gostam do jogo, e que estão se martirizando ou desesperados, é que sem mudar o jogo, nada muda no Cruzeiro.

Infelizmente, eu acredito que nada vai mudar no Cruzeiro, a não ser o aumento exponencial de utilização das redes sociais para marketing digital da pior qualidade. Marketing feito por um monte de “especialista” em enganar torcedores; produções caras com palavras que enganam muita gente e mantém outros iludidos. O Brasil, no futebol, na política, na religião, virou um país de gente enganada pelas redes sociais.

Alguns dirão: mas você não disse que ” adapte-se ou morra “?

Sim, com toda a certeza, quem não se adapta morre, talvez eu esteja morrendo, talvez muitos cruzeirenses estejam deixando sua paixão morrer. Mas, o que quero passar é a ideia de que a paixão nunca morre, o verdadeiro torcedor vai saber que tem jogo, vai continuar ligado no time de futebol e noutros esportes.

Donos do Futebol

Do mesmo modo que no beisebol, retratado no filme, qualquer esporte coletivo no mundo, que seja profissional, não tem mais “benemérito” ou “mecenas”. Tem investidor e acionista que cobra resultados. Nossos torcedores ainda não entenderam isso. Se uma empresa coloca dinheiro no clube e estampa o escudo numa caixinha de leite, por exemplo, é para os torcedores comprarem o leite.

A autofagia do torcedor medíocre brasileiro, em adição a estupidez do marqueteiro que trata torcedor como trata consumidor de sabonete ou cerveja é lapidar. Os “donos do futebol” não estão nem aí para desejo de torcedor e opinião sobre um jogo ou um campeonato. É muito mais do que um jogo e as manifestações de torcida, mesmo em grupos numerosos, é somente diversionismo. Em outras palavras, muitas dessas distrações são orquestradas por competentes marqueteiros de rede social.

Um destes diversionismos é a “aparição” de empresários dispostos e ajudar o Cruzeiro falando em captar R$500 milhões como divulgado na mídia(3). #SQN

Não existe, a princípio, almoço grátis e, muito menos, bom samaritano com o próprio dinheiro, empresários cruzeirenses estavam onde desde julho de 2017?

Palavrinha final

Este texto serve, portanto, para torcedores de todos os times e o filme serve de analogia para todos os profissionais que, de uma forma ou de outra, estão envolvidos com o futebol. Eu acredito na capacidade das pessoas lerem esta ideia e debaterem sobre a ideia, personagens servem somente para dar bilheteria e audiência de fãs e simpatizantes.

#FicaaDICA

O segredo para virar o jogo é pensar muito sobre cada leitura que fazemos e cada caso é um caso, no Cruzeiro a situação exige paciência até para explicar ao torcedor sobre o momento que vivemos.

Em síntese, fico imaginando como roteirista de um filme com título “Eu acredito Azul” e colocando falas dos personagens com os nomes reais. Como eu queria participar da reunião desta data entre a diretoria do Cruzeiro e empresários dispostos a salvar o Cruzeiro. Eu diria a eles para pensar fora da caixinha, adaptarem-se ou morrerem ou somente “eu acredito” em vocês? Faça suas apostas !

 

(1) ” Colapso Azul: A fatal exception has occurred ” é um dos muitos textos que explica o colapso.

(2) Isto não possui nenhum rigor científico. Exceto pelas adesões ao programa Meep FIFA, um fracasso completo.

(3) Aquiles Diniz detalha projeto de R$500 milhões  ( Portal UAI )

 

Imagem: Adaptada por Evandro Oliveira

Nota do Autor

Reitero, dentre outras, o pedido feito em muitos textos deste blog e presente na página de “Advertências“.

  • Observações, sugestões, indicações de erro e outros, uma vez que tenham o propósito de melhorar o conteúdo, são bem vindos.
  • Coloquem aqui, nos comentários ou na página do Facebook, associada a este Blog, certamente serão todos lidos e avaliados.
  • Alguns textos são revisados, outros apresentam erros (inclusive ortográficos) e que vão sendo corrigidos à medida que tornam-se erros graves (inclusive históricos).
  • Algumas passagens e citações podem parecer estranhas mas fazem parte ou referem-se a textos ainda inéditos.

Agradeço a compreensão de todos e compreendo os que acham que escrevo coisas difíceis de entender, é parte do “jogo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.