OMG e Cringe

Cringe dessa Geração Z

Cringe – Etimologia

Em primeiro lugar, um pouco de etimologia da palavra cringe, que será tema-chave deste texto e virou conceito e adjetivo depreciativo.

cringe (v.)

1570s, “to bend or crouch, especially with servility or fear,” variant of crenge, crenche “to bend” (c. 1200), from causative of Old English cringan “yield, give way, fall (in battle); become bent,” from Proto-Germanic *krank- “bend, curl up” (source also of Old Norse kringr, Dutch kring, German Kring “circle, ring”). Related: Cringedcringing. As a noun from 1590s. Cringe-worthy (adj.) is attested by 1990.

Fonte: Online Etimology Dictionary

Enfim, é uma palavra estrangeira que remonta séculos passados e com significado de algo que provocava humilhação aos derrotados ou rendidos. Em tempos mais recentes foi admitido como algo vergonhoso, no sentido de que a posição do derrotado ou vencido deveria ser a vergonha. Como se não bastasse a derrota, o vencido tinha que ser humilhado, ou seja nada mais autoritário e abusivo.

OMG

Alguns termos, expressões, e até mesmo ideias e conceitos, têm sido reproduzidos nas redes sociais como “emoticons” e tornaram-se uma forma de comunicação, que as pessoas não acostumadas não compreendem bem. Por outro lado, algumas palavras podem produzir interpretações diferentes e sempre caberá a “defesa” de que, quem não entendeu é o receptor da mensagem. Eu adoro uma treta e entro em todas ( seletivamente ! ), ou seja um bom mineiro “ dá umboi para não entrar numa briga e uma boiada para não sair “.

Reprodução: Internet

O acrônimo OMG(1), por exemplo, é coisa de gerações recentes, mas que os “Perennials” entendem e sabem usar, de maneira humorada e com sarcasmo irônico. Talvez ter o espírito sarcástico e o humor refinado, até com as coisas sérias, seja o aprendizado que a Geração Z e subsequentes precisam aprender.

Conflito entre Gerações

Anteriormente, escrevi muito aqui sobre conflito de gerações(2). Inclusive, ministrei palestras para pessoas de diversas gerações, dos Baby Boomers aos Centennials, sobre esta temática.

Entretanto, tenho constatado que as diferenças estão se tornando abissais e não tem influenciador de rede social que dê jeito. Desse modo, resolvi aproveitar e surfar na onda ( seria cringe aos olhos dos neófitos? ).

Cringe

Pouco depois da pandemia pegar a todos da minha geração, comecei a ver trocas de mensagens de gerações de mais novos e comecei a escrever mais sobre o assunto. A história vem de muito tempo atrás, no começo deste Blog declarei que eu pertencia à geração dos Perennials ( Perennial Gen – A Verdadeira Geração Raiz ). O debate, à época, versava sobre a disputa do que era ou não ” raiz ” ou ” nutella ” e um papo com as novas gerações, que não conseguem nem se autodefinir enquanto geração.

Assim sendo, fui fazer uma pesquisa básica sobre gerações, conflitos, termos etc. Neste momento fico assustado com a repercussão da palavra cringe em grandes portais. Uma influencer resolveu abrir o debate na sua ” timeline ” a partir dos hábitos financeiros da denominada Geração Z. Surpreendentemente, os caras começaram a discutir a reproduzir a palavra cringe ao invés de debaterem sobre os péssimos hábitos financeiros que praticam.

Debate Estéril

Quando vejo a quantidade de comentários sobre a palavra ser dez, vinte, mil vezes mais em quantidade do que a discussão sobre, por exemplo, práticas financeiras, vejo que perdemos. Certamente, a derrota não foi somente de ” 7 a 1 ” e, em outras palavras, como tenho escrito, perdemos feio e nada do meteoro chegar.

Portanto, é muito além de decepcionante ver que a palavra cringe vira pauta de redação de portais até conceituados, enquanto o país pega fogo, literalmente.

Enquanto isso, passa boi, passa boiada e tudo ” continua como dantes ” …

 

(1) OMG é acrônimo que vem da ironia de uma expressão em inglês ( Oh My God ! ) usada por quem deseja se expressar sem escrever muito nas redes sociais.

(2) O texto ” Adestramento digital dos 8 aos 80 ” é lapidar, agressivo e só para os fortes lerem.

 

P. S. Em suma, não sinto nenhuma vergonha alheia ( cringe, para os descolados ) destes que procuram a fama por debater inutilidades nas redes sociais.

 

Imagem: Reprodução Internet

Nota do Autor

Reitero, dentre outras, o pedido feito em muitos textos deste blog e presente na página de “Advertências“.

  • Observações, sugestões, indicações de erro e outros, uma vez que tenham o propósito de melhorar o conteúdo, são bem vindos.
  • Coloquem aqui, nos comentários ou na página do Facebook, associada a este Blog, certamente serão todos lidos e avaliados.
  • Alguns textos são revisados, outros apresentam erros (inclusive ortográficos) e que vão sendo corrigidos à medida que tornam-se erros graves (inclusive históricos).
  • Algumas passagens e citações podem parecer estranhas mas fazem parte ou referem-se a textos ainda inéditos.

Agradeço a compreensão de todos e compreendo os que acham que escrevo coisas difíceis de entender, é parte do “jogo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.