Generazione 56K - Cartaz Oficial Netflix

Un’app per la generazione 56k

Filmes e Séries

Em primeiro lugar, venho resistindo, há muito tempo, em publicar textos sobre séries e filmes que se pareçam com crítica à produção ou sinopse. Desse modo, publiquei vários textos(1) ( alguns precisando de atualização ) que a partir de uma série ou filme traço um paralelo com a nossa sociedade ( nacional ou local ) e o enredo. Entretanto, uma série sintetizou muito do que já escrevi e motivou-me a misturar tudo: Generazione 56k.

Enfim, está aberta a temporada de publicações, inclusive algumas feitas antes da criação deste Blog, em que me meto a ” crítico ” de produções audiovisuais e congêneres. Não é minha pretensão ser classificado como crítico de cinema ou TV e peço desculpas aos profissionais pelos arroubos que, com toda a certeza, cometerei. Surpreendentemente, Generazione 56k me arrebatou para mudar um monte de conceitos, preconceitos e comportamentos, sejam bem vindos.

 

Generazione 56k

Um facilitador que identifiquei para escrever sobre Generazione 56K foi a curiosidade pelo título. Além, é claro, da classificação como comédia-romântica. Classificada pelo Netflix ( Itália ) uma comédia-romântica, à princípio, despretensiosa mas que mostra as diferenças entre gerações. Os millennials traduzidos e representados em ” Generazione 56k ” são apresentados no título em português como ” Geração | 30 e poucos(2). Venho escrevendo sobre as diferenças entre gerações há algum tempo, identifico-me como Perennial e talvez esta posição tenha me dado um ponto de vista do enredo e contexto diferente.

Desse modo, a motivação para escrever de forma diferente, motivou-me a ver os episódios da primeira temporada com dublagem, legendas e no idioma original.

Sinopse

A história tem diferenças de classificação de quem a vê, decerto é uma comédia-romântica com ingredientes de realidade que cativa. Eu a classificaria ainda como drama ou suspense, o que tem sido muito comum em séries que buscam continuidade em outras temporadas.

É uma comédia-romântica moderna, nos moldes que os adeptos do streaming gostam de ver como passatempo, sem muitas pretensões. Entretanto, considerei a produção uma boa forma de conectar e traçar relacionamentos e entender conflitos entre gerações(3).

Dois jovens ( Daniel e Matilda ) de 30  e poucos anos, crianças nos anos 1990, são os personagens principais da trama. A produção, ambientada no sul da Itália, aborda a relação destes dois jovens e seus amigos e amigas, e como as coisas podem ou não mudar trinta anos depois.

A influência dos amigos de infância na vida adulta, muito pouco reproduzida na vida real, é determinante para a leveza desta série. As relações da infância e adolescência são transportadas para um novo século e afloram sentimentos que ficaram escondidos no passado.

Os personagens alternam suas visões de mundo do passado e do presente com intensidade que todos os espectadores se sentem representados, inclusive os que não são da Generazione 56k. A Internet, antes da explosão das redes sociais modernas, foi determinante para mudança da vida de todos eles e, numa possível continuação, será mais impactante.

Além dos personagens principais, é importante destacar as relações de Bruno (Pai de Daniel), Ciro (padrinho de Daniel), Inês, Luca e Sandro, amigos do casal protagonista.

Paralelo

Não será desta vez que vou fazer spoiler da série ou de algum episódio, pelo menos diretamente. O enredo é interessante e merece mais “estrelas” do que tenho visto dos críticos, especialmente os italianos.

É provável que surjam críticas mais positivas ou que os profissionais especializados resolvam contextualizar mais sobre o enredo e menos sobre a produção e detalhes afins.

A produção me deu, inclusive, um aprimoramento de ideia que pode utilizar tecnologia que não existia no passado e hoje pode ser bem possível. Por exemplo, o personagem Daniel tem dificuldade de falar alguma coisa para a pessoa de quem ele gosta, ” quem nunca? “. Se ele escrevesse um bilhete e deixasse para alguém abrir o envelope quando ele morresse ou coisa parecida, estaria atingindo seu objetivo? Claro que não !

Entretanto, hoje seria possível criar um app em que a pessoa escreveria alguma coisa e utilizaria uma tecnologia como blockchain de forma que não poderia mudar o que escreveu e poderia ” liberar ” para quem desejasse ou em determinada data ou horário. Portanto, muito do que desejamos falar, a tecnologia pode nos ajudar, inclusive evitando os erros de envio açodado que tanto cometemos.

As histórias ” paralelas ” abordam de maneira leve e bem humorada questões relacionadas à religião, sexo, conflitos de gerações e a utilização de tecnologias e redes sociais, de uma maneira crítica e leve. Senti falta de algumas abordagens politicamente incorretas para ” apimentar ” um pouco mais a comédia, mas a proposta final ficou digna de ” 4 estrelas “.

Millenials

A proposta da produção é bastante adequada e até os pequenos episódios ( o conteúdo real é de 25 minutos, no máximo ) são um grande atrativo. Embora não seja um trabalho para indicação de premiação, é um ótimo passatempo para ver numa espécie de maratona; as sequências e consequências são inesperadas. Os personagens, millennials ou não, são identificados conosco e com nossos amigos, que  tem seus vícios e virtudes que amamos, em suma, uma boa diversão.

Entretanto, uma certeza e uma dúvida me ocorreram: Vou fazer um app e a geração de millennials têm pressa de quê mesmo?

 

(1) Velha Roupa Colorida – de 3% ou dos 97% ?

(2) Geração 30 e poucos

(3) Perennial Gen – A verdadeira geração raiz

(*)  Un’app per la generazione 56k (italiano) = Um aplicativo para a geração 56k

 

Imagem: Adaptação Cartaz Oficial

Nota do Autor

Reitero, dentre outras, o pedido feito em muitos textos deste blog e presente na página de “Advertências“.

  • Observações, sugestões, indicações de erro e outros, uma vez que tenham o propósito de melhorar o conteúdo, são bem vindos.
  • Coloquem aqui, nos comentários ou na página do Facebook, associada a este Blog, certamente serão todos lidos e avaliados.
  • Alguns textos são revisados, outros apresentam erros (inclusive ortográficos) e que vão sendo corrigidos à medida que tornam-se erros graves (inclusive históricos).
  • Algumas passagens e citações podem parecer estranhas mas fazem parte ou referem-se a textos ainda inéditos.

Agradeço a compreensão de todos e compreendo os que acham que escrevo coisas difíceis de entender, é parte do “jogo”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.